quinta-feira, 7 de julho de 2022

ONG alerta Europa que frango de MS viola direitos indígenas

Estudo sobre a cadeia produtiva da carne de frango brasileira exportada para a Europa mostra que propriedades rurais de Mato Grosso do Sul, apontadas como violadoras dos direitos indígenas fazem parte desse comércio. É o que denuncia a ONG (Organização não Governamental) inglesa Earthsight, que cita Fazenda Brasília Sul, em Juti, produtora de soja, como uma das “exploradoras” de terras tradicionalmente pertencentes a povos tradicionais.

O ciclo – O grão produzido ali serve de ração para os animais da Lar Cooperativa Agroindustrial, uma das maiores exportadoras de frango do Brasil e que envia a proteína animal para dezenas de varejistas europeus. A Brasília Sul é reivindicada como território da etnia Guarani-Kaiowá e o processo de demarcação está parado.

Da granja ao fast food – Conforme rastreio feito pela ONG internacional, em parceria com a entidade “De Olhos nos Ruralistas”, a cooperativa exportou à Europa grandes quantidades de frango alimentado com a ração de soja da Brasília Sul, especialmente para Reino Unido, Alemanha e Holanda. Registros comerciais mostram que a britânica Westbridge importou mais de 37 mil toneladas de frango congelado e marinado da Lar Cooperativa Agroindustrial, entre 2018 e 2021. isso corresponde a cerca de um terço das exportações totais da empresa ao Reino Unido e União Europeia no período. A Westbridge é uma importante fornecedora de produtos à base de frango para supermercados, bem como a rede de fast food KFC.

Sufoco – Nestes quatro anos, ainda conforme a denúncia, que tem sido espalhada pela ONG, as tentativas dos Guarani-Kaiowá de retomar seu território foram sufocadas, mesmo na esfera judicial. O estudo lembra ainda que essa violência culminou, em 2003, com o assassinato do líder indígena Marcos Veron, espancado até a morte nas proximidades da Fazenda Brasília Sul.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Notícias Relacionadas

Revista AviSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias



Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

destaque-06

FACTA WPSA-Brasil 2022

Temas como sustentabilidade, gestão de pessoas para melhorar o desempenho das aves, otimização de custo e seu impacto fizeram parte da agenda do evento. Página 84.

destaque-02

A evolução da seleção genética de frangos de corte

O melhoramento genético de frangos de corte teve início no fim da primeira metade do século passado, por meio de um processo de seleção simples, sem muita tecnologia. Página 44.

destaque-04

Sistema de Gestão e Mobilidade à frente da Agroindústria 4.0

Com a evolução e mobilidade dos dados, o cliente hoje pode estar em qualquer lugar e ter acesso às informações que estão sendo geradas para ele, uma vez que todas as pontas do processo possuem tecnologia em dispositivos móveis. Página 26.

destaque-05

Ferraz Parts: surge uma nova forma de produção de matrizes e capas de rolos para peletizadoras

Um novo setor, a mesma filosofia que consagrou a Ferraz Máquinas como a maior fabricante de equipamentos para rações animais do Brasil. Página 24.

destaque-07

Simpósio OvoSite aborda inovações na produção de ovos

O Simpósio OvoSite irá levantar as tendências para a comercialização no mercado interno e nas exportações para o setor. Página 88.

frango (93)

Com crescimento nas exportações de carne de frango, Brasil se mantém como maior exportador da proteína

Apenas em 2021 foram embarcadas 4,610 milhões de toneladas representando um montante de US$ 7,6 bilhões (FOB).  Página 30.

destaque-03

Melhoramento Genético Holístico

A produção de carne deve aumentar em 44 milhões de toneladas métricas até 2030, com 52% desse aumento representado pela avicultura. Página 50.

destaque-01

Entrevista: Ariel Mendes

Se falarmos em avicultura o nome de Ariel Mendes sempre estará em pauta, afinal, são mais de 40 anos dedicados ao setor, seja transmitindo conhecimento por meio de aulas ou à frente das principais entidades avícolas do país. Página 38.