Mercado

Prosseguem, em São Paulo e Minas Gerais, as altas do frango vivo

Ontem (14), tanto em São Paulo como em Minas Gerais, o frango vivo disponibilizado encontrou forte demanda. A ponto de obter mais um reajuste de cinco centavos. Só neste mês, o quarto do mesmo valor registrado entre paulistas e mineiros. Com a nova alta, o frango vivo de Minas Gerais – cotado agora a R$3,25/kg – registra incremento de, praticamente, 55% sobre o preço vigente há um ano. Então, obtinha uma das menores remunerações da presente década. Agora, opostamente, chega a um dos maiores valores da história. Mas ainda está um pouco longe do recorde – R$3,45/kg, valor alcançado durante boa parte de agosto de 2016. Já o produto de São Paulo – cuja cotação chega a R$3,20/kg, valor 33% superior ao de um ano atrás – está mais próximo de seu recorde: R$3,25/kg, cotação que, anteriormente, foi alcançada em duas ocasiões bastante distintas, a primeira em agosto de 2016 e a segunda entre setembro e outubro do ano passado. O que pesa, nesses casos, é a inflação acumulada entre um período e outro. Embora o mercado permaneça firme, com o encerramento, hoje, da primeira quinzena, a tendência agora é de estabilização das cotações atuais, sobretudo porque a evolução de preços do frango abatido já dá sinais de esgotamento. Mas ainda que os preços se estabilizem, março será encerrado com o terceiro melhor valor dos últimos dois anos e meio, ou seja, a cotação média do mês ficará atrás apenas dos R$3,19/kg registrados em setembro e outubro de 2018.

(AviSite) (Redação)



Visite  www.avisite.com.br  - O Portal da Avicultura na Internet