sexta-feira, 27 de maio de 2022

Neoliberalismo e Necolonialismo ?

Ari Bernardes da Silva UFRGS/CDPA – Revista Sanidade Avícola

A avicultura nacional mergulhou numa crise sem precedente em toda sua história. Tanto as empresas avícolas grandes como as de médio e pequeno porte estão, por igual, trabalhando no “vermelho”, consumindo as últimas “gordurinhas”, acumuladas ao longo de suas existências. Algumas já seguiram o mesmo caminho de outras empresas nacionais: tiveram seus controles cedidos a grupos econômicos internacionais. É impressionante, para não dizer alarmante, a velocidade adquirida no processo de desnacionalização da nossa economia. É contagioso e tem características endêmicas! Tudo isso é feito em nome da globalização da economia porque, defendem seus adeptos, no final quem se beneficia é o consumidor. Segundo eles, a economia globalizada significa a derrubada das barreiras alfandegárias e o livre trânsito das mercadorias, independente de suas origens. A prova disso é a proliferação das lojinhas tipo “um e noventa e nove”, na atualidade, “dois e alguma coisa mais”, onde produtos de primeiríssima qualidade, oriundos dos Tigres asiáticos (hoje melhor denominados de gatinhos asiáticos) podem ser adquiridos pela população brasileira. Sem dúvida, uma das maravilhas da globalização! Além disso, o livre trânsito internacional de mercadorias, por enquanto, tem sido unidirecional, quer dizer, do hemisfério norte para o sul. Nossos produtos, quando fazem concorrência com os similares deles, são sobretaxados ou, então, alguma barreira sanitária é criada, às pressas, para impedir que eles sejam importados. O colonialismo sempre foi praticado ao longo da história da humanidade. Engana-se quem pensa que essa tendência atávica do homem tenha sido eliminada das relações entre os povos modernos. O colonialismo apenas se transvestiu. É, agora, muito mais sutil, ardiloso, sem que com isso, seja menos perverso e cruel do que foi no passado. Na época do Império Romano, suas legiões se deslocavam para invadir e conquistar territorialmente outros povos que, uma vez subjugados, tornavam-se possessão de Roma. A relação que, então, se estabelecia entre o conquistador e o conquistado era de ódio e o sentimento nacionalista de libertação florescia e era alimentado constantemente pela presença do conquistador. Esta tática foi abandonada pelo colonialismo moderno. Não mais interessa a ele o domínio territorial, mas sim o econômico e cultural. Esse último, mais como fator coadjuvante do processo. Portanto, nada ou muito pouco mudou, sob o ponto de vista ético, no relacionamento atual entre as nações: surgiu apenas uma forma diferente de dominação: o neocolonialismo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Revista AviSite

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

revista01

Avicultura de corte brasileira chegou a novos e inéditos resultados em 2021

Revista do AviSite faz um balanço do ano de 2021 trazendo os números de alojamento de matrizes de corte, produção de pintos de corte, produção, exportação e disponibilidade de carne de frango e disponibilidade per capita aparente de carne de frango. Página 22.

revista02

Influenza Aviária: os reais perigos dos novos surtos de H5N1

Com o crescimento de casos da cepa H5N1 em todo o mundo, aumenta a preocupação em manter o Brasil livre da enfermidade. Portanto, especialistas alertam para a necessidade de manutenção dos programas de biosseguridade, avaliando potenciais fragilidades e mitigando riscos. Página 30.

revista03

Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de suínos e aves

Estudos da Embrapa mostram que o arroz pode complementar ou substituir o milho na ração animal. Página 36.

Fotografias Noelly Castro

União Europeia sanciona lei que bane uso indiscriminado de antibióticos e estimula o bem-estar na criação animal

Brasil deve ser impactado em relação às vendas da avicultura. Expectativa é de efeito positivo em outros países, inspirando a modernização de leis que visem à promoção de sistemas mais éticos e sustentáveis e a mitigação dos riscos de resistência antimicrobiana. Página 56.

revista04

Terceira geração de selênio: L-SeMet, OH-SeMet ou Zn-SeMet, quais são as diferenças?

Estudos sugerem que a forma de selênio ofertada na dieta determina sua eficiência e, dessa maneira, influencia o atendimento do requerimento nutricional dos animais. Página 42.

Melina Bonato

Conceitos de imunonutrição aplicados a avicultura

Este conceito é entendido e aplicado à nutrição animal há bastante tempo, já que os conhecimentos nas áreas de nutrição, sanidade, manejo e ambiência são bastante avançados; no entanto, apenas há alguns anos, o termo “imunonutrição” vem sendo usado efetivamente. Página 46.

frango (88)

Superdosagem de fitase proporciona bons resultados para combater miopatias em frangos de corte

A necessidade de resolver o problema associado à alta incidência de distúrbios metabólicos, como miopatias, tem atraído enorme atenção do setor. Página 48.

frango (45)

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade, levando a alterações dos parâmetros produtivos. Página 50.