sábado, 28 de maio de 2022

Na tentativa de minimizar casos de IA, França proíbe reposição de novas aves

O Ministério da Agricultura e Alimentação decidiu expandir as medidas de controle e prevenção supervisionando os movimentos de aves em uma densa área de reprodução no sudoeste, após várias detecções do vírus nos arredores de Malaussanne. A reposição de aves de um dia, de todas as espécies, fica proibida até o dia 7 de janeiro, por decretos municipais que complementam o zoneamento já em vigor. Essas medidas podem ser estendidas, tendo em vista a evolução da situação de saúde. Um sistema de apoio econômico para os criadores em questão será estabelecido pelo Estado.

Estas medidas preventivas aplicam-se num perímetro superior ao das atuais áreas regulamentadas, com o objetivo de limitar os riscos de contaminação numa zona de reprodução com elevado risco de propagação do vírus, devido ao grande número de explorações na zona. Estão em causa os municípios localizados até 20 km ao redor dos focos.

Estas medidas são tomadas após informação dos especialistas e de acordo com os princípios de antecipação e gestão de riscos definidos no roteiro elaborado em julho em consulta com os profissionais para evitar o surgimento de novas crises no setor avícola.

As movimentações na nova área restrita obedecerão a um protocolo de saúde garantindo a ausência de propagação da doença, estabelecido pelas operadoras e validado pelos serviços descentralizados.

Um sistema de ajuda econômica apoiará os incubatórios cujos ovos para incubação terão que ser destruídos e, também, os criadores que terão que manter um vazio sanitário em suas granjas.

Desde o dia 16 de dezembro, quando um primeiro surto de H5N1 foi confirmado no sudoeste em uma granja de patos em idade de abate na cidade de Manciet, nas Gers, 22 novos surtos foram identificados nos Pireneus Atlânticos, Gers e Landes.

As granjas afetadas foram despovoadas caso a caso e, em seguida, desinfetadas. Uma zona de proteção (3 km) e uma zona de vigilância (10 km) foram montadas ao redor de cada foco. Para controlar o risco de propagação do vírus, o movimento de aves está proibido nessas áreas, onde medidas sanitárias rigorosas devem ser observadas.

Como lembrete final, o consumo de carne, foie gras e ovos – e, de forma geral, de qualquer produto alimentício cujos ingredientes sejam produtos avícolas – não apresenta  qualquer risco para o ser humano.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Revista AviSite

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

revista01

Avicultura de corte brasileira chegou a novos e inéditos resultados em 2021

Revista do AviSite faz um balanço do ano de 2021 trazendo os números de alojamento de matrizes de corte, produção de pintos de corte, produção, exportação e disponibilidade de carne de frango e disponibilidade per capita aparente de carne de frango. Página 22.

revista02

Influenza Aviária: os reais perigos dos novos surtos de H5N1

Com o crescimento de casos da cepa H5N1 em todo o mundo, aumenta a preocupação em manter o Brasil livre da enfermidade. Portanto, especialistas alertam para a necessidade de manutenção dos programas de biosseguridade, avaliando potenciais fragilidades e mitigando riscos. Página 30.

revista03

Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de suínos e aves

Estudos da Embrapa mostram que o arroz pode complementar ou substituir o milho na ração animal. Página 36.

Fotografias Noelly Castro

União Europeia sanciona lei que bane uso indiscriminado de antibióticos e estimula o bem-estar na criação animal

Brasil deve ser impactado em relação às vendas da avicultura. Expectativa é de efeito positivo em outros países, inspirando a modernização de leis que visem à promoção de sistemas mais éticos e sustentáveis e a mitigação dos riscos de resistência antimicrobiana. Página 56.

revista04

Terceira geração de selênio: L-SeMet, OH-SeMet ou Zn-SeMet, quais são as diferenças?

Estudos sugerem que a forma de selênio ofertada na dieta determina sua eficiência e, dessa maneira, influencia o atendimento do requerimento nutricional dos animais. Página 42.

Melina Bonato

Conceitos de imunonutrição aplicados a avicultura

Este conceito é entendido e aplicado à nutrição animal há bastante tempo, já que os conhecimentos nas áreas de nutrição, sanidade, manejo e ambiência são bastante avançados; no entanto, apenas há alguns anos, o termo “imunonutrição” vem sendo usado efetivamente. Página 46.

frango (88)

Superdosagem de fitase proporciona bons resultados para combater miopatias em frangos de corte

A necessidade de resolver o problema associado à alta incidência de distúrbios metabólicos, como miopatias, tem atraído enorme atenção do setor. Página 48.

frango (45)

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade, levando a alterações dos parâmetros produtivos. Página 50.