quinta-feira, 7 de julho de 2022

MHP, gigante avícola da Ucrânia, agora tem como alvo a distribuição interna de carne de frango

Com o quartel-general da empresa deslocado temporariamente para a Eslovênia – ou seja, a relativa distância da Ucrânia – John Rich, Presidente Executivo da MHP, sigla que identifica a Myronivsky Hliboproduct, maior integração agropecuária ucraniana, falou à jornalista Kirsten Graumans sobre os desafios enfrentados com a invasão daquele país pelas forças armadas russas. A seguir alguns trechos da entrevista e da matéria publicada por The Poultry Site.

“Normalmente, a MHP produz cerca de 50% da carne de aves da Ucrânia. Estimamos que, no momento, nossa produção corresponda a cerca de 90% do total”, pois, com a invasão russa, muitas outras grandes empresas interromperam a produção.

Rich, nascido na Austrália, se encontra agora na Eslovênia, de onde administra o lado financeiro da empresa e conduz comunicações corporativas com uma equipe composta principalmente por funcionárias que fugiram da Ucrânia. Finanças e comunicação estão intimamente interligadas porque a MHP está listada na bolsa de valores. O valor da ações da MHP caiu 50% no primeiro mês da guerra.

“O fato de a MHP ser uma integração garante a continuidade de suas atividades”, diz Rich. “Mas estamos entre os poucos que podem garantir isso. Quase todos os grandes produtores de alimentos de origem animal na Ucrânia pararam de produzir. Os que não estão integrados enfrentam grandes problemas”. De acordo com Rich, apenas a produtora de suínos dinamarquesa Goodvalley, localizada no oeste da Ucrânia, ainda está produzindo naquele país.

De toda forma, a MHP precisou enfrentar o que o dirigente da empresa chama de “superação do luto”: “Fomos obrigados, não como indivíduos, mas como organização, a passar aceleradamente – da negação à aceitação – pelos cinco estágios de processamento do luto*.

Um exportador agora voltado para o mercado interno

Não sem esforço e a despeito da guerra, a MHP vem conseguindo manter uma parte considerável de sua produção. A empresa – que em 2020 produziu 700 mil toneladas de carne de frango – conta com instalações distribuídas ao centro e a oeste da Ucrânia. Mas, com a guerra, passou por radicais transformações e, no momento, tudo que era exportado vem sendo destinado ao mercado interno.

Como a empresa se encontra verticalmente integrada, desde a incubação, passando pela produção de ração e chegando ao processamento e à distribuição, o processo de produção não sofreu interrupção. Mas foi significativamente reduzido e, hoje, a MHP funciona com 80% de sua capacidade de produção. Em condições normais, produz anualmente quase tanta carne de frango quanto a Holanda.

Centros de distribuição fragmentados

Rich chama a situação atual na Ucrânia de catástrofe. “É o maior desastre humanitário na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.” Atualmente, a empresa vem distribuindo parte de suas aves gratuitamente. “A distribuição de alimentos tornou-se tarefa extremamente desafiadora”, diz ele. Mas até em áreas onde a produção foi menos afetada tornou-se difícil entregar os produtos. A Rússia visa especificamente os centros de distribuição de alimentos, como supermercados, diz Rich. “Não há dúvida sobre isso.”

Circulam na internet fotos de um grande centro de distribuição perto de Kiev que foi completamente destruído. A MHP agora auxilia varejistas na distribuição de produtos refrigerados. A empresa também distribui diretamente aos consumidores, em áreas onde o restante da cadeia desapareceu. Para este efeito, a MHP fornece principalmente produtos ‘prontos para consumo’.

Faltam peças de reposição

“A logística é um desafio, pois as rotas de distribuição precisam ser refeitas e adaptadas todos os dias, conforme a situação. Ser um motorista em uma zona de guerra é uma ameaça à vida. Nas duas primeiras semanas da guerra a disponibilidade de motoristas era um problema, mas hoje já há candidatos para a função”.

Dos 27 mil funcionários que a MHP tem na Ucrânia, entre mil e dois mil agora lutam nas forças armadas. Mas outros se apresentaram para ocupar as vagas surgidas, indica ele. A mão de obra, portanto, não é um problema, embora seja um pouco mais difícil para o trabalho específico de transporte. “Um dos nossos maiores problemas são as carretas refrigeradas. Algumas são produzidas na União Europeia, outras na Rússia. As peças de reposição não estão disponíveis. Precisamos tentar manter o que temos”.

Preparada para a época de plantio

A MHP também é um dos maiores produtores de grãos da Ucrânia. A empresa administra cerca de 370 mil hectares e tem tudo pronto para a nova safra, diz Rich, desde o fertilizante até as sementes e o combustível. No que diz respeito aos suprimentos, a MHP pode iniciar o plantio. A situação é bem diferente para as pequenas empresas agrícolas da Ucrânia, que não têm estoques suficientes.

Rich está preocupado com o que acontecerá com essas empresas menores. “Adubar a terra é um grande desafio. Haverá perda de produtividade” . Ele atualmente chama o leste da Ucrânia de “terra de ninguém”, inacessível. E a área acima de Kiev também se encontra “comprometida” pela invasão das tropas russas.

Dilação do vencimento de títulos

A nova época de plantio e a distribuição são, em especial, os maiores desafios operacionais enfrentados pela equipe que permanece na Ucrânia. A equipe financeira na Eslovênia tem outro desafio: garantir o fluxo de caixa.

Nesse sentido, a MHP vem fazendo um apelo ao mercado: solicita aos detentores de títulos da holding que adiem a cobrança de juros por nove meses, medida considerada necessária para a continuidade da empresa. “A MHP teve um desempenho extremamente bom no ano passado”, lembra Rich.

O capital próprio também não é o problema. Mas a MHP precisa de dinheiro para manter o negócio funcionando em tempos de guerra. A empresa destaca que há 16 anos emite títulos e tem demonstrado que sempre honra suas obrigações. Rich: “O maior apoio de que preciso é a compreensão dos detentores de nossos de títulos. Precisamos mantê-los conosco.”

* Conforme psicólogos, os cinco estágios ou fases do luto compreendem (1) negação e isolamento; (2) raiva; (3) barganha; (4) depressão; e (5) aceitação.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Notícias Relacionadas

Revista AviSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias



Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

destaque-06

FACTA WPSA-Brasil 2022

Temas como sustentabilidade, gestão de pessoas para melhorar o desempenho das aves, otimização de custo e seu impacto fizeram parte da agenda do evento. Página 84.

destaque-02

A evolução da seleção genética de frangos de corte

O melhoramento genético de frangos de corte teve início no fim da primeira metade do século passado, por meio de um processo de seleção simples, sem muita tecnologia. Página 44.

destaque-04

Sistema de Gestão e Mobilidade à frente da Agroindústria 4.0

Com a evolução e mobilidade dos dados, o cliente hoje pode estar em qualquer lugar e ter acesso às informações que estão sendo geradas para ele, uma vez que todas as pontas do processo possuem tecnologia em dispositivos móveis. Página 26.

destaque-05

Ferraz Parts: surge uma nova forma de produção de matrizes e capas de rolos para peletizadoras

Um novo setor, a mesma filosofia que consagrou a Ferraz Máquinas como a maior fabricante de equipamentos para rações animais do Brasil. Página 24.

destaque-07

Simpósio OvoSite aborda inovações na produção de ovos

O Simpósio OvoSite irá levantar as tendências para a comercialização no mercado interno e nas exportações para o setor. Página 88.

frango (93)

Com crescimento nas exportações de carne de frango, Brasil se mantém como maior exportador da proteína

Apenas em 2021 foram embarcadas 4,610 milhões de toneladas representando um montante de US$ 7,6 bilhões (FOB).  Página 30.

destaque-03

Melhoramento Genético Holístico

A produção de carne deve aumentar em 44 milhões de toneladas métricas até 2030, com 52% desse aumento representado pela avicultura. Página 50.

destaque-01

Entrevista: Ariel Mendes

Se falarmos em avicultura o nome de Ariel Mendes sempre estará em pauta, afinal, são mais de 40 anos dedicados ao setor, seja transmitindo conhecimento por meio de aulas ou à frente das principais entidades avícolas do país. Página 38.