domingo, 29 de maio de 2022

Influenza Aviária: risco de transmissão aérea por aves aquáticas selvagens é insignificante

Estudo realizado pelo Departamento de Pesquisas Bioveterinárias (WBVR, na sigla em inglês) da Universidade de Wageningen, nos Países Baixos, mostrou que o risco de transmissão aérea do vírus da influenza aviária de alta patogenicidade de aves selvagens infectadas é insignificante.

A pesquisa analisou especificamente o movimento aerotransportado de partículas de fezes de aves aquáticas selvagens nas proximidades de granjas durante a temporada de risco de gripe aviária (outubro a março, no Hemisfério Norte). Também considerou a transmissão por aerossolização, com as exalações ou tosses de aves aquáticas infectadas com o vírus da gripe aviária chegando aos sistemas de ventilação das granjas.

Como precaução, ficou demonstrado que o mais importante é remover imediatamente as carcaças de aves aquáticas selvagens ou outras aves selvagens suspeitas de morte por

influenza aviária de alta patogenicidade, sejam removidas de seu habitat o mais rápido possível. Pois, do contrário, os necrófagos que comem as carcaças podem causar a distribuição de penas infectadas.

Introdução do vírus às aves

“Aves aquáticas selvagens como patos, gansos, cisnes e gaivotas são reservatórios naturais do vírus da gripe aviária. Essas aves aquáticas selvagens podem desempenhar um papel importante na introdução do vírus nas demais aves, porque liberam o vírus da gripe aviária quando são infectadas. Vestígios de fezes de aves selvagens infectadas com a gripe aviária, quando depositados nas proximidades das granjas, podem chegar até essas granjas. Por exemplo, eles podem ser presos a botas, roupas ou ferramentas, ou podem ser carregados com material de cama armazenado fora dos aviários, ou podem ser trazidos por meio de ratos e camundongos carregando os excrementos em suas peles ou pernas.

Além disso, experiências anteriores sugeriram que o vírus da gripe aviária pode ser transportado de uma granja para outra se for produzido em grandes quantidades por um grande número de galinhas infectadas em um aviário. Este projeto investigou se há risco de o vírus da gripe aviária ser transmitido para aviários por aves selvagens infectadas nas proximidades desses aviários ”, disse Armin Elbers, líder do projeto para a pesquisa e epidemiologista sênior da WBVR.

Análise de risco
O foco desta análise de risco de transmissão aérea do vírus da gripe aviária de alta patogenicidade derivado dos excrementos contaminados de aves aquáticas selvagens ou de um aerossol produzido pelas exalações ou tosses de aves aquáticas selvagens infectadas com o vírus da gripe aviária foi selecionado devido ao risco de tais rotas de transmissão possivelmente poder ser mitigado com o uso de dispositivos quebra-vento.

A análise de risco semiquantitativa foi realizada pela WBVR como parte da parceria público-privada One-Health for Food (1H4F) (‘Risco de gripe aviária: papel relativo das rotas de introdução e biossegurança dentro e ao redor das granjas avícolas’), financiado pelo Ministério da Agricultura, Natureza e Qualidade Alimentar e da avicultura organização do setor AVINED.

A pesquisa identificou todos os blocos de construção relevantes para a realização de uma análise de risco semiquantitativa por meio de uma extensa revisão da literatura e execução de um experimento de campo para investigar o potencial do movimento aerotransportado de partículas expelidas pelas aves durante a temporada de gripe aviária de alta patogenicidade.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Revista AviSite

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

revista01

Avicultura de corte brasileira chegou a novos e inéditos resultados em 2021

Revista do AviSite faz um balanço do ano de 2021 trazendo os números de alojamento de matrizes de corte, produção de pintos de corte, produção, exportação e disponibilidade de carne de frango e disponibilidade per capita aparente de carne de frango. Página 22.

revista02

Influenza Aviária: os reais perigos dos novos surtos de H5N1

Com o crescimento de casos da cepa H5N1 em todo o mundo, aumenta a preocupação em manter o Brasil livre da enfermidade. Portanto, especialistas alertam para a necessidade de manutenção dos programas de biosseguridade, avaliando potenciais fragilidades e mitigando riscos. Página 30.

revista03

Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de suínos e aves

Estudos da Embrapa mostram que o arroz pode complementar ou substituir o milho na ração animal. Página 36.

Fotografias Noelly Castro

União Europeia sanciona lei que bane uso indiscriminado de antibióticos e estimula o bem-estar na criação animal

Brasil deve ser impactado em relação às vendas da avicultura. Expectativa é de efeito positivo em outros países, inspirando a modernização de leis que visem à promoção de sistemas mais éticos e sustentáveis e a mitigação dos riscos de resistência antimicrobiana. Página 56.

revista04

Terceira geração de selênio: L-SeMet, OH-SeMet ou Zn-SeMet, quais são as diferenças?

Estudos sugerem que a forma de selênio ofertada na dieta determina sua eficiência e, dessa maneira, influencia o atendimento do requerimento nutricional dos animais. Página 42.

Melina Bonato

Conceitos de imunonutrição aplicados a avicultura

Este conceito é entendido e aplicado à nutrição animal há bastante tempo, já que os conhecimentos nas áreas de nutrição, sanidade, manejo e ambiência são bastante avançados; no entanto, apenas há alguns anos, o termo “imunonutrição” vem sendo usado efetivamente. Página 46.

frango (88)

Superdosagem de fitase proporciona bons resultados para combater miopatias em frangos de corte

A necessidade de resolver o problema associado à alta incidência de distúrbios metabólicos, como miopatias, tem atraído enorme atenção do setor. Página 48.

frango (45)

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade, levando a alterações dos parâmetros produtivos. Página 50.