Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Sexta-feira, 13/12/2019
Siga-nos:
Classificados Links Vídeos
CLIPPINGS
Milho sobe mais de 2% em Chicago na volta da Ação de Graças

Categoria: Matérias-Primas

Campinas, SP, 02/12/2019 |

Semana foi de preços firmes para o milho no Brasil.

A sexta-feira (29) chegou ao final com valorizações para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram ganhos entre 6,00 e 8,50 pontos nesta volta do feriado de comemoração do dia de Ação de Graças nos Estados Unidos.

O dezembro/19 foi cotado à US$ 3,71 com valorização de 8,50 pontos, o março/20 valeu US$ 3,81 com ganho de 8 pontos, o maio/20 foi negociado por US$ 3,85 com alta de 6,75 pontos e o julho/20 teve valor de US$ 3,90 com elevação de 6 pontos.

Esses índices representaram ganhos, com relação ao fechamento da última quarta-feira, de 2,49% para o dezembro/19, de 2,14% para o março/20, de 1,58% para o maio/20 e de 1,56% para o julho/20.

Com relação ao fechamento da sexta-feira anterior (22), os futuros do milho acumularam altas de 0,82% no dezembro/19, de 0,79% para o março/20, de 0,52% para o maio/20 e de 0,52% para o julho/20, na comparação dos últimos sete dias.

Segundo informações da Agência Reuters, os contratos do milho atingiram a maior alta das últimas três semanas neste dia pós feriado de Ação de Graças, em parte, impulsionados pela força do trigo.

Além disso, o futuro do milho também foi reforçado pelas fortes previsões de queda de neve no cinturão de milho do noroeste dos EUA nos próximos dias, e os agricultores que esperavam enfrentar um progresso muito lento na colheita dos cerca de 8 milhões de acres (3,2 milhões de hectares) restantes de safra.

Ainda nesta sexta-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou seu novo relatório de vendas semanais, apontando que as exportações norte-americanas de milho somaram 806,8 mil toneladas na semana e ficaram dentro do intervalo esperado pelo mercado de 400 mil a 900 mil toneladas.

Mercado Interno

No mercado físico brasileiro, a sexta-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, foram registradas desvalorizações apenas na praça de Castro/PR (1,23% e preço de R$ R$ 40,00) e Oeste da Bahia (1,27% e preço de R$ 39,00).

Já as valorizações foram percebidas em Pato Branco/PR (1,36% e preço de R$ 37,20), Ubiratã/PR (1,41% e preço de R$ 36,00), Cascavel/PR (1,41% e preço de R$ 36,00) e Assis/SP (2,50% e preço de R$ 41,00).

Em seu reporte diário, a Agrifatto Consultoria informou que a semana foi de preços firmes para o milho, mas os fundamentos também não passaram por grandes alterações.

“A dinâmica das comercializações no mercado interno continua ditando o rumo dos preços. O mercado segue pouco ofertado, produtores continuam com expectativas de novas valorizações para o cereal, e por isso, aguardam para negociar novos lotes em horizonte mais longo”, explica a publicação.

Os analistas apontam ainda que, “compradores estão mais atuantes no mercado, resultando em pressão positiva aos preços”.



Fonte: Notícias Agrícolas
Autor: Guilherme Dorigatti



Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!




ÚLTIMOS CLIPPINGS













CLIPPINGS MAIS LIDOS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: