Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Sexta-feira, 26/04/2019
Siga-nos:
Classificados Links Vídeos
CLIPPINGS
Valor de mercado total de JBS, Marfrig e BRF já subiu R$ 8,9 bi este ano

Categoria: Empresas

São Paulo, SP, 08/02/2019 |


No que depende dos frigoríficos brasileiros, os investidores não têm do que se queixar neste início de 2019. Impulsionado pela JBS, a maior indústria de proteínas animais do mundo, o valor de mercado das empresas de carnes que compõem o Ibovespa - grupo que também inclui Marfrig e BRF - aumentou R$ 8,9 bilhões desde o fim de 2018. Juntas, as três empresas valem atualmente R$ 61,7 bilhões, o que significa um crescimento de 16,9% ante os R$ 52,8 bilhões do fim de dezembro.

A trajetória positiva não está descolada do ambiente geral, mas as valorizações de JBS e Marfrig são bastante superiores à do Ibovespa. Embalado pela agenda reformista do governo Bolsonaro, o Ibovespa registrou alta de 6,2% no ano até ontem. Os papéis de JBS e Marfrig, por sua vez, subiram 23,6% e 10,4%, respectivamente. As ações da BRF subiram menos (5,8%), mas por causa do tombo de ontem, motivado pela frustração dos investidores com os resultados de seu plano de venda de ativos

O valor de mercado da JBS, cujas ações sobem 46,3% nos últimos 12 meses, chegou a R$ 39,1 bilhões, o da Marfrig atingiu R$ 3,7 bilhões e o da BRF alcançou R$ 18,8 bilhões.

Em geral, as valorizações também teriam sido mais intensas não fosse o banho de água fria de quarta-feira, quando o Ibovespa teve o pior pregão desde a greve de caminhoneiros, caindo mais de 3% em meio aos receios com a forma escolhida pelo governo para encaminhar a reforma da Previdência. A desconfiança também contaminou as ações dos frigoríficos, reduzindo a magnitude da valorização no ano - até terça-feira, a JBS acumulava alta de quase 30% desde dezembro.

De qualquer maneira, a valorização da ações de JBS, Marfrig e BRF foi significativa. De acordo com analistas consultados pelo Valor, a recuperação dos papéis das três empresas reflete a melhora no ciclo de produção de carne de frango no Brasil - dona de Sadia e Perdigão, a BRF é líder nas exportações mundiais dessa proteína - e o excepcional momento para a indústria americana de carne bovina. As margens dos frigoríficos nos Estados Unidos, que em tempos normais ficavam em torno dos 4%, estão mais perto dos 10%.

Nesse caso, a maior beneficiada é a JBS, que disputa a liderança do mercado americano de carne bovina com Tyson Foods e Cargill. Com a compra da National Beef em 2018, a Marfrig também passou a participar da festa americana. O negócio deu à empresa fundada por Marcos Molina o controle do quarto maior frigorífico de carne bovina dos EUA e, de quebra, fez dela a segunda maior empresa do segmento no mundo, atrás apenas da JBS.

A exposição à economia americana tem sido o grande diferencial para os investidores de JBS e Marfrig, ressaltou um analista de um banco brasileiro. "É um momento operacional positivo", avaliou.

Há também em curso um processo de construção de confiança e reputação - palavras que dificilmente caracterizaram o segmento desde 2007, quando JBS e Marfrig abriram o capital. Mas o fato é que, por diferentes fatores, as empresas agora agradam mais.

Nesse sentido, o caso da JBS é emblemático. A empresa dos irmãos Batista cada vez mais deixa no passado as manchetes policiais. Após a delação premiada de Joesley e Wesley, a JBS vendeu ativos, renegociou dívidas com bancos no Brasil, profissionalizou a gestão e, agora, voltou a preparar o terreno para uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de suas operações internacionais nos Estados Unidos.

No mês passado, Guilherme Cavalcanti, ex-diretor financeiro da Fibria, assumiu a área financeira e de relações com os investidores da JBS com a missão de fazer a abertura de capital na bolsa de Nova York (Nyse). "O IPO tem sido uma das grandes metas da JBS", ressaltou o analista Leandro Fontanesi, do Bradesco BBI.

A avaliação é que o IPO vai disparar um gatilho, puxando as ações da JBS. Listada nos EUA, a companhia pode ter acesso a recursos mais baratos e fazer valer sua diversificação na comparação com concorrentes como Tyson e Smithfield.

Em relatório divulgado na terça-feira, a agência de classificação de risco Fitch apontou a JBS como a mais diversificada empresa de proteínas animais do mundo, tanto em termos geográficos - a empresa está na América do Norte, Europa, América do Sul e Oceania - como em tipos de proteína (bovinos, frango e suínos). "[A diversificação ajuda a mitigar riscos relacionados a doenças e restrições comerciais", disse Johnny Da Silva, diretor da Fitch, em nota. Não à toa, a Tyson, ainda muito concentrada nos Estados Unidos, vem buscando aquisições no continente asiático. O faturamento anual da JBS nas exportações é de US$ 14 bilhões, três vezes mais que o da Tyson, apontou a agência de classificação de risco.

Mas, embora o momento seja favorável aos investidores de frigoríficos, o setor não está livre de riscos. "Nessa área, as bombas aparecem do nada", disse o analista de um banco, lembrando de casos que vão desde a delação premiada dos Batista até embargos comerciais.

Entre as empresas de carnes, a BRF é a mais exposta. A companhia brasileira, que vem sofrendo seguidos golpes desde a Operação Carne Fraca, está no meio de um processo de reestruturação. Além da venda de ativos, que frustrou expectativas, a BRF terá como desafio recuperar a rentabilidade, o que deve demorar.

"O problema não é a dívida, mas o Ebitda. Eles precisariam de um Ebitda de R$ 4 bilhões para isso", afirmou um analista. É mais realista pensar em um Ebitda de R$ 3 bilhões, o que colocaria a alavancagem mais próxima de 4 vezes. Em 30 de setembro de 2018, o índice estava em 6,7 vezes.



Fonte: Valor
Autor: Luiz Henrique Mendes



Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!




ÚLTIMOS CLIPPINGS













CLIPPINGS MAIS LIDOS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: