Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Quarta-feira, 16/01/2019
Siga-nos:
Classificados
CLIPPINGS
Milho: Bolsa de Chicago fecha segunda-feira com leves quedas

Categoria: Matérias-Primas

Campinas, SP, 18/12/2018 |


A Bolsa de Chicago (CBOT) chegou ao final da segunda-feira (17) apresentando leves quedas próximas da estabilidade. Dessa maneira, as principais cotações futuras registraram desvalorização entre 0,2 e 0,6 pontos. O vencimento dezembro/18 fechou cotado a US$ 3,84 por bushel e o março/19 trabalhava a US$ 3,91 por bushel.

Os Estados Unidos embarcaram, na semana encerrada em 13 de dezembro, 85,060 mil toneladas de milho. O volume ficou dentro do esperado, que era um intervalo de 800 mil a 1,1 milhão de toneladas. E assim, o total já embarcado pelos EUA chega a 15.991,318 milhões, contra pouco mais de 9,2 milhões do mesmo período do ano comercial anterior. Os valores foram divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Mercado Interno:

Já no mercado interno, as cotações do milho também fecharam o dia estáveis em sua maioria. As únicas praças que apresentaram desvalorização foram Ponta Grosa (PR) com queda de 2,94% e preço de R$ 33,00 e Rondonópolis (MT) com baixa de 1,96% e preço de R$ 25,00.

As altas foram registradas nas cidades de Pato Branco (PR), Primavera do Leste (MT), Tangará da Serra (MT), Campinas (SP), Castro (PR) e Palma Sola (SC) que teve a maior valorização de 3,13% e preço de R$ 33,00.

De acordo com o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) a posição firme de vendedores no mercado tem sustentado os preços do milho na maior parte das regiões, principalmente nas consumidoras. Por outro lado, compradores já estão atentos à perspectiva de disponibilidade recorde na temporada 2018/19, o que faz com que parte desses agentes aguarde melhores oportunidades de negócios – contexto que limita um movimento de alta nos valores. Segundo a Conab, a produção brasileira na próxima temporada deve ser recorde. No geral, os principais estados fornecedores para demandantes paulistas neste período têm sido Mato Grosso do Sul e Goiás. Ainda assim, os produtores destas regiões também já têm elevado os valores de suas ofertas.

A moeda americana fechou a segunda-feira (17) com leve baixa ante ao real. O dólar recuou 0,26%, a 3,8945 reais na venda, depois de marcar a mínima de 3,8777 reais e a máxima de 3,9303 reais. O dólar futuro caía 0,56%.

Segundo a Agência Reuters, o dólar baixou monitorando a trajetória externa em semana de expectativa pela decisão de política monetária do Federal Reserve e em dia de nova atuação do Banco Central no câmbio. "Até quarta-feira o mercado vai esperar o Fed", resumiu o diretor de câmbio da Ourominas, Mauriciano Cavalcante. "Depois, pode haver espaço para o dólar realizar", acrescentou.



Fonte: Notícias Agrícolas
Autor: Guilherme Dorigatti



Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!




ÚLTIMOS CLIPPINGS













CLIPPINGS MAIS LIDOS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: