Edição 100
10 Anos
Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Aplicativos
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Sábado, 21/04/2018
Siga-nos:
CLIPPINGS
Categoria: Matérias-Primas

São Paulo e Brasília, 09/02/2018 |

Conab, IBGE e USDA veem mais soja no Brasil



A Companhia Brasileira de Abastecimento (Conab), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) confirmaram as expectativas e elevaram suas estimativas para a produção de soja no país nesta safra 2017/18. Os volumes ainda são inferiores ao recorde da temporada 2016/17, mas novos ajustes para cima poderão acontecer nos próximos meses.

Ainda que a colheita esteja atrasada, porque o clima não colaborou no início do plantio, as chuvas dos últimos meses favoreceram o desenvolvimento das lavouras, o que deverá garantir volumes maiores que os previstos inicialmente. Resta saber, contudo, se as precipitações atuais em alguns polos vão atrapalhar os trabalhos de campo que estão em desenvolvimento a ponto de prejudicar o resultado final.

De acordo com levantamento divulgado ontem pela Conab, a produção de soja chegará a 111,6 milhões de toneladas em 2017/18 no país, 1,2 milhão a mais que o previsto em janeiro mas volume ainda 2,2% inferior ao do ciclo passado. Já o IBGE revisou levemente seu número de 112,3 milhões para 112,4 milhões de toneladas, com a mesma variação negativa de 2,2% sobre o volume colhido em 2016.

O USDA, por sua vez, elevou sua estimativa para a colheita brasileira da oleaginosa de 110 milhões para 112 milhões de toneladas, e com isso passou a trabalhar com exportações brasileira da ordem de 69 milhões de toneladas na temporada - 3 milhões a mais que no cenário traçado pela Conab. Ainda que a produção prevista seja menor que a de 2016/17 (114,1 milhões de toneladas), o volume de embarques projetado pelo órgão americano é quase 10% maior.

Mesmo com as correções para cima nas estimativas para a soja, tanto a Conab quanto o IBGE ratificaram que a atual safra brasileira de grãos em geral deverá ser menor que a anterior, em consequência sobretudo de um recuo expressivo da produção de milho. Para o cereal, a Conab projeta 88 milhões de toneladas, em queda de 10,1%, enquanto o IBGE prevê redução de 13,8%, para 85,8 milhões. No total, a Conab estima 225,6 milhões de toneladas, baixa de 5,1%, o IBGE calcula 226,1 milhões, 6% menor. Mesmo com essas quedas, será a segunda melhor safra de grãos da história do país. (Colaboraram Cleyton Vilarino e Luiz Henrique Mendes, de São Paulo, e Bruno Villas Bôas, do Rio)

Mais sobre preços em Commodities Agrícolas







Fonte: Valor
Autor: Fernando Lopes, Fernanda Pressinott e Cristiano Za



Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!




CLIPPINGS MAIS LIDOS
5 dias
30 dias
ÚLTIMOS CLIPPINGS











NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: