Revista do AviSite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
AviGuia
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Legislação
Busca Avançada
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Quarta-feira, 08/04/2020
Siga-nos:
Notícias Clippings
CLIPPINGS
Farelo de soja da China sobe para máxima de 5 meses por preocupações com oferta

Categoria: Matérias-Primas

Campinas, SP, 20/03/2020 |


Os contratos futuros do farelo de soja negociados na China subiram para uma máxima em quase cinco meses nesta sexta-feira, com os surtos de coronavírus na América do Sul alimentando novas preocupações sobre os suprimentos já apertados.

O principal contrato do farelo de soja subiu 2,5%, para 2.832 iuanes por tonelada, o maior valor desde o início de novembro do ano passado.

"O salto foi devido à doença do coronavírus. O mercado está preocupado com o fato de os surtos na América do Sul afetarem o fornecimento de soja e farelo de soja", disse Monica Tu, analista da Shanghai JC Intelligence Ltd, uma consultoria agrícola de Xangai.

Importadores chineses têm comprado ativamente soja do Brasil, seu principal exportador de oleaginosas, com boas margens de esmagamento, mas as chuvas no país da América do Sul impediram a colheita e os embarques em fevereiro. Em março, a expectativa é de que as exportações sejam fortes, com a melhora climática.

A epidemia sem precedentes de coronavírus, também se espalhando rapidamente no Brasil e na Argentina, alimentou ainda mais as preocupações com suprimentos, pois ameaçava atrapalhar a logística e as operações nos principais portos da região.

"A situação está piorando. O mercado já está com escassez de suprimentos", disse um gerente de uma grande processadora no sul da China.

"Será um grande problema se não conseguirmos retirar as cargas (do Brasil) em abril e maio", disse o gerente, que se recusou a ser identificado porque não estava autorizado a conversar com a mídia.

Grupos de agronegócios no Brasil, maior exportador de soja para a China, buscaram ajuda do governo para garantir a continuidade das operações nos portos, em meio à crise do coronavírus.

Uma importante cidade portuária no principal centro de exportação de grãos da Argentina suspendeu as atividades para conter o vírus, o que adicionou preocupações.

Os baixos estoques na China e a situação preocupante no Brasil podem levar os compradores a procurar nos EUA, também um grande exportador, disseram analistas e traders.

Os compradores chineses compraram duas cargas de soja dos Estados Unidos nesta semana, para remessa do noroeste do Pacífico dos EUA, segundo operadores.



Fonte: Reuters
Autor: Redação



COMENTÁRIOS






ÚLTIMOS CLIPPINGS













CLIPPINGS MAIS LIDOS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: