Revista do AviSite
Revista do OvoSite
Encartes Especiais
Notícias
Informativo Semanal
Informativo Diário
Info Estatísticas
Canal Agroceres
PecSite
SuiSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Canal Agroceres
Legislação
Busca Avançada
Cadastre-se
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Segunda-feira, 18/10/2021
Siga-nos:
Notícias Informativo Semanal Informativo Diário Info Estatísticas Canal Agroceres
NOTÍCIAS
Setor avícola polonês perde lucratividade


Os preços caem, os custos aumentam e a competição externa se torna acirrada; com a participação, inclusive, do Brasil

Varsóvia, 31/08/2021


A indústria do frango da Polônia está sob forte pressão, pois a lucratividade está diminuindo rapidamente. No último mês e meio os preços das aves vivas e abatidas recuaram e a lucratividade é questionada, já que os preços da ração estão subindo. A Câmara Nacional de Produtores de Aves e Rações prevê que a situação continuará se deteriorando e os preços cairão dinamicamente.

“Passados alguns primeiros meses do ano marcados pelo otimismo da avicultura, enfrentamos um péssimo período. As fontes dessa deterioração podem ser vistas no comércio exterior conduzido pela União Europeia como um todo. Em primeiro lugar, os preços de importação de aves de terceiros países caíram drasticamente. Isso significa que as exportações polonesas para a Europa também devem baixar os preços porque estamos competindo pelo mesmo segmento de mercado ", explicou Katarzyna Gawronska, diretora da Câmara Nacional dos Produtores de Aves e Forragem (KIPDiP) para uma revista local.

Grã-Bretanha perdeu o apetite pelo frango polonês

Antes do Brexit, o Reino Unido era o segundo maior mercado de produtos avícolas poloneses. Em 2020, a Polônia exportou 134.500 toneladas de carne de frango para o Reino Unido no valor de quase €316 milhões. A participação do Reino Unido no total de carne de frango exportada da Polônia foi responsável por quase 14%.

Atualmente, o mercado de aves do Reino Unido é disputado pela Ucrânia e pelo Brasil, com os produtores sul-americanos aumentando seus embarques para o Reino Unido em 39% nos últimos meses.

Enquanto isso, as exportações de aves da UE diminuíram em comparação com o ano passado, o que também é uma má notícia para os produtores de aves poloneses que fornecem processados no mercado único. Metade da produção de aves na Polônia é exportada e 80% dos volumes exportados têm como destino o mercado da UE.

COVID-19: mais destrutiva do que a Influenza Aviária

De acordo com o KIPDiP, o cenário mais provável para as próximas semanas no mercado de compra de frangos e no comércio de carne de frango é a deterioração sistemática da situação dos criadores e frigoríficos.

A culpa por este estado de coisas - para além de questões relacionadas com a atualidade da União Europeia - recairá também sobre a sazonalidade, que tradicionalmente desfavorece a indústria neste momento do ano.

Nas análises da Câmara Nacional dos Produtores de Aves e Rações, há uma ressalva de que as previsões sobre o futuro podem não se concretizar caso ecloda outra onda da pandemia COVID-19 no mundo. Curiosamente, o KIPDiP acredita que a epidemia de SARS-Cov-2 é um evento muito mais destrutivo para as aves polonesas do que a gripe aviária, resume o relatório.


Fonte: Euromeat
Autor: Redação






COMENTÁRIOS



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



















NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Clique acima para acessar o leitor digital ou abaixo para Download do PDF