Revista do AviSite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Informativo Semanal
Informativo Diário
Info Estatísticas
Canal Agroceres
PecSite
SuiSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Canal Agroceres
Legislação
Busca Avançada
Cadastre-se
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Terça-feira, 13/04/2021
Siga-nos:
Notícias Informativo Semanal Informativo Diário Info Estatísticas Canal Agroceres
NOTÍCIAS
As interferências (presentes e futuras) da Covid-19 na avicultura, no ponto de vista do Rabobank




Campinas, 23/02/2021


Assinado por seu analista sênior na área de produção animal, Nan Dirk Mulder, o Rabobank acaba de divulgar estudo em que avalia a realidade dos investimentos da avicultura na era da Covid-19.

Nesse estudo, Mulder observa que a Covid-19 vem interferindo nos negócios de uma maneira que o mercado avícola global jamais esperou, criando novas áreas de risco, mas também de oportunidades.

Os impactos da pandemia têm sido amplos e distribuídos de forma muito desigual entre regiões e empresas. Nesse “rabo de foguete”, os impactos sobre o setor podem ser caracterizados em três estágios distintos:

Estágio 1 - A ruptura (2020). Significativa interrupção nos mercados, no comércio e nas cadeias de suprimento, com enormes - e nunca vistas - diferenças de desempenho entre empresas.

Estágio 2 – Via de mão dupla para a recuperação (2021). Continuidade de grandes impactos, que afetarão tanto as empresas globais como as regionais. Os altos e baixos da pandemia no primeiro semestre continuarão impactando todo o setor, com a demanda concentrando-se no varejo e no atendimento on-line, em detrimento do food-service, especialmente nos lockdowns.

A recuperação virá gradualmente, à medida que a Covid-19 seja melhor controlada e a vacinação seja amplamente utilizada. Isso deve ocorrer a partir do segundo semestre de 2021 e em 2022, mas o contexto será de custos elevados e voláteis na alimentação.

Sob o ponto de vista da demanda, a tendência é a de dualidade do mercado. De um lado estarão os consumidores com elevado poder aquisitivo impulsionando a busca por produtos premium. Do outro, estarão os consumidores economicamente afetados pela pandemia e que, por isso, focarão sua demanda nos preços.

Para as empresas do setor, as questões-chave na fase 2 serão o posicionamento de mercado, o controle de custos, as compras e a gestão de suprimentos. A consolidação irá se acelerando gradualmente.

Estágio 3 – O desfecho (2022). É quando, em um ambiente pós-Covid-19, ressurgem as oportunidades de investimento. Mas os objetos desses investimentos serão diferentes dos prescritos antes da Covid-19.

A demanda pela carne de frango será caracterizada por uma procura forte e contínua, apesar da superação da Peste Suína Africana e do surgimento de proteínas alternativas.

Os canais de distribuição mudarão, dando maior espaço às vendas em domicílio e on-line, o que abre oportunidade, também, para um mix de novos produtos.

As cadeias de valor se tornarão mais digitais, mais inteligentes e mais sustentáveis. A segurança alimentar e de insumos impulsionará o fornecimento local e manterá o comércio sob pressão.

Para ajustar o posicionamento da empresa e otimizar o crescimento e o retorno, as empresas precisarão revisar continuamente as condições de mercado.

Haverá significativas diferenças entre ganhadores e perdedores. Elas levarão, nos próximos anos, a um acelerado processo de investimentos de capitais, consolidação e internacionalização.


Fonte: AviSite
Autor: Redação






COMENTÁRIOS



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



















NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Clique acima para acessar o leitor digital ou abaixo para Download do PDF