Revista do AviSite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
AviGuia
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Legislação
Busca Avançada
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Terça-feira, 07/04/2020
Siga-nos:
Notícias Clippings
NOTÍCIAS
EUA enfrentam dificuldades para fazer seu frango chegar à China




Campinas, 14/02/2020 | 11:37

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Mais do que um alívio, a reabertura do mercado chinês ao frango dos EUA (depois de um embargo que durou perto de cinco anos) está se revelando um grande desafio: devido ao Coronavírus, o acesso aos principais portos da China está prejudicado e a solução tem sido desviar a mercadoria para outros países.

A propósito, veja-se o relato dos jornalistas P. J. Huffstutter (de Chicago), Lisa Baertlein (de Los Angeles) e Tom Polansek (também de Chicago) para a agência de notícias Reuters:
Os navios que transportam contêineres refrigerados de frango dos Estados Unidos para a China estão sendo desviados para portos em Hong Kong, Coréia do Sul, Taiwan e Vietnã devido ao surto de coronavírus, segundo um grupo de exportação de aves dos EUA.
O vírus, que está causando estragos no comércio mundial de transporte de contêineres, mantém os consumidores e trabalhadores em casa na China, adiando as compras em lojas e restaurantes e retardando o descarregamento de produtos nos portos.
Os portos chineses ficaram sem espaço para contêineres refrigerados, que devem ser conectados a tomadas elétricas depois de descarregados para manter a carne congelada e outros produtos alimentícios frios, disse à Reuters nesta quinta-feira Jim Sumner, presidente do Conselho de Exportação de Ovos e Aves dos EUA.
Os produtos congelados e refrigerados estão começando a estragar por causa da falta de energia disponível, disse um gerente de uma operadora de terminais portuários de Los Angeles.
Os atrasos ocorrem quando a China está pronta para aumentar as importações de carne bovina e de aves dos EUA após o acordo comercial da Fase 1 anunciado no mês passado.
Os exportadores de aves dos EUA estão sendo informados pelas autoridades de frete, porto e governo que os embarques de suprimentos médicos e suínos necessários para reforçar as reservas da China estão sendo permitidos, disse Sumner.

"Tudo o mais está sendo considerado não prioritário e a entrada não é permitida", disse ele. "Basicamente, a China está fechada no momento".

Na semana passada, o executivo-chefe da Tyson Foods, Noel White, disse que a empresa ainda estava enviando carne para a China e tem pedidos a atender, mas o coronavírus, que infectou cerca de 60.000 pessoas na maioria na China, causou problemas.

A Perdue Farms, com sede em Maryland, disse à Reuters que tem encomendas e está monitorando a situação dos portos.

Estima-se que 300 a 400 contêineres refrigerados de aves - atualmente em trânsito - estão sendo desviados. Cerca de 80% do produto são pés de galinha, enquanto o restante é carne de frango e produtos de peru, disse Sumner.

Após quase cinco anos, Pequim suspendeu a proibição de importação de carne de frango dos EUA em novembro passado, impulsionada por uma escassez sem precedentes de carnes, depois que a peste suína africana matou milhões de porcos no país, que ama carne de porco.

A promessa era a de um mercado lucrativo, principalmente para pés de frango. Normalmente, os processadores norte-americanos os vendem para fábricas ou empresas de alimentos para animais por, em média, 5 centavos de dólar por libra (0,453 gramas), disse Sumner. O preço médio dos pés de galinha vendidos para a China é de 90 centavos de dólar por libra, disse ele.

Os problemas econômicos para os exportadores de frango dos EUA podem ser significativos, já que as empresas transportadoras podem cobrar taxas de armazenamento nas cargas com dificuldade de desembarque, disse Sumner.





COMENTÁRIOS



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: