Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Terça-feira, 21/01/2020
Siga-nos:
Notícias Clippings
NOTÍCIAS
Novos indicadores da SECEX/ME vêm sendo incorretamente interpretados




Campinas, 11/12/2019 | 06:07

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Depois que a SECEX/ME divulgou, na última segunda-feira (9), os primeiros dados relativos ao andamento das exportações de dezembro corrente, diversos meios de comunicação passaram a divulgar informações que, não só no caso da avicultura, vêm sendo incorretamente interpretadas e, por isso, podem estar causando confusão no setor.

Detalhando, a SECEX/ME acaba de introduzir um novo dado relativo às exportações, focado exclusivamente na receita cambial média diária. Com ele, detalha o desempenho de quase mil diferentes produtos.

Um serviço oportuno. Só que ninguém é perfeito. Neste caso, ao especificar a receita média diária (do mês, do mês anterior e do mesmo mês do ano anterior), a tabela divulgada indica valores em “mil dólares”, quando o correto é em “dólares”.

Alguns, porém, não se deram conta disso. E destacam, por exemplo (caso específico da avicultura) que as exportações de “aves de granja, vivas” renderam, na primeira semana de dezembro corrente, US$613,3 mil dólares diários, o que, feitas as contas, corresponderia a uma receita cambial semanal de mais de três milhões dólares (US$3,066 milhões).

Quem acompanha a evolução das exportações de carne de frango (sem dúvida, muito mais valiosas que as de aves vivas) sabe que no corrente exercício foram precisos seis meses para que a receita cambial do produto ultrapassasse a casa dos US$3 milhões. Como, então, arrecadar quantia semelhante em apenas uma semana? E com a exportação de frango vivo (como citou um site de agropecuária)?

Na verdade, o valor obtido com a exportação de aves vivas foi de US$613,3/dia – pouco mais de US$3 mil na semana. E a tabela publicada permite essa comprovação ao incluir, por exemplo, dados relativos às exportações de soja, milho e café. Cujas exportações propiciaram, na semana, receita média diária de US$57,6 mil, US$57,1 mil e US$18,5 mil, respectivamente.

Adicionalmente, é fundamental observar que a exportação brasileira de aves vivas está concentrada sobretudo, em pintos de um dia: de linhas puras, avós, matrizes e comerciais - de corte e postura. Ou seja: o frango vivo e aves recriadas representam parcela mínima dessas exportações.

É algo que precisa ficar bem claro quando forem analisados os próximos resultados das exportações.



Acompanhe as Edições de Dezembro: Revista do AviSite e Revista do Ovo

  





COMENTÁRIOS



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: