Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Quarta-feira, 18/09/2019
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Desempenho externo das carnes em julho de 2019




Campinas, 02/08/2019 | 07:18

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Como, no quesito “dias úteis”, julho passado foi 21% mais longo que o mês anterior (23 contra 19 dias úteis de junho), contava-se que isso redundaria em exportações proporcionalmente maiores.

Mas apenas os embarques de carne bovina apresentaram crescimento próximo do índice apontado, aumentando quase 16% em relação a junho. Já o volume de carne suína aumentou menos de 7,5%, enquanto o de carne de frango apresentou ligeira redução – de 0,14%. Com isso, o total de carnes in natura embarcadas no mês aumentou apenas 4%.

No tocante ao preço médio, só as carnes bovina e de frango registraram evolução positiva – de 3,29% e 3,81%, respectivamente. O da carne suína recuou quase meio por cento.

A despeito desses contratempos, a receita cambial das três carnes aumentou em relação ao mês anterior. A da carne suína em 7%, a da bovina em quase 20% e da carne de frango em pouco mais de 3,6%.

Comparativamente a julho de 2018, chama a atenção a forte redução de volume (18,5% a menos) da carne de frango. Mas a queda, se realmente ocorreu, deve ter sido significativamente menor, pois o volume de um ano atrás foi inflado por embarques não contabilizados do mês anterior.

De toda forma, a carne de frango não ficou sozinha nessa redução, pois os embarques de carne bovina também recuaram (pouco mais de 1,3%). Assim, apenas a carne suína registrou aumento de volume (próximo de 5%) em relação a julho do ano passado. Mas esse incremento foi insuficiente para impedir que o volume total das três carnes sofresse refluxo em comparação a julho de 2018.

No mês, melhoraram os preços da carne suína (+23,73%) e da carne de frango (+12,27%). Ou seja: a carne bovina continuou com preço inferior ao de um ano atrás, o valor recebido em julho deste ano sendo quase 5% inferior.

Como corolário desses desempenhos, a carne suína foi a única a registrar aumento na receita cambial, em valor próximo de 30%. Mas embora expressivo, esse ganho foi insuficiente para reverter o resultado negativo na receita cambial das três carnes (menos 4,5%), porquanto a receita da carne bovina recuou mais de 6% e a da carne de frango quase 8,6%.




A Revista do AviSite e a Revista do Ovo já estão disponíveis! É só acessar!







NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: