Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Sexta-feira, 14/12/2018
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Carne de frango: os preços futuros no mercado internacional




Campinas, 23/11/2018 | 07:04

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Em recente trabalho conjunto, a Agência das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico(OCDE) ratificaram a maior expansão futura da carne de frango em relação às carnes bovina e suína. Mas sinalizaram que a liderança do produto avícola será marcada, também, por uma baixa evolução dos preços nos próximos anos.

O estudo tomou como base os preços médios do triênio 2015/2017. E projeta como deverão se comportar esses preços no decêndio 2018/2027. No gráfico abaixo, a nova projeção foi incorporada aos preços nominais e reais registrados desde 1997 e, assim, o resultado final é um panorama abrangendo três décadas.

Primeira e principal constatação: os excelentes preços alcançados no início da presente década (2011), ocasião em que a remuneração obtida pela tonelada de carne de frango in natura chegou a ultrapassar os US$2 mil, não devem ser repetir. O máximo previsto por OCDE/FAO é algo em torno dos US$1.725/t, valor que, por sua vez, é menos de 1% superior ao estimado para 2021 (US$1.708/t). Ou 4,38% maior que a média de 2017 – o que significa que nestes próximos 10 anos o incremento será inferior a meio por cento ao ano.

Mas tudo isso está relacionado, apenas, ao valor nominal alcançado pela carne de frango. Pois, considerados os valores reais, o panorama é ainda mais desafiador. Porque, considerado o valor real de pouco mais de US$2.000/t alcançado em 2011, a expectativa é a de que se chegue a 2017 com um valor real perto de 40% menor, ou seja, o equivalente a cerca de US$1.200/t. Que, por seu turno, corresponde a uma redução da ordem de 30% em comparação ao valor real de 1997, pouco mais de 20 anos atrás.

Seria lógico concluir que essa baixa valorização da carne de frango decorre do aumento expressivo da produção e do fato de ser a carne mais produzida no mundo. Ou, simplificando, mera questão de oferta e procura. Mas não é bem assim: as carnes bovina e suína passam pelo mesmo processo.

É verdade que a desvalorização da carne bovina é bem menor. Tende a chegar a 2027 com um preço real cerca de 10% menor que o alcançado em 1997. Já a desvalorização da carne suína chega a quase 50%.








NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: