Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Segunda-feira, 15/10/2018
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Embarques de carne de frango retrocederam 8% no ano




Campinas, 10/08/2018 | 07:15

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Os dados consolidados da SECEX/MDIC relativos a julho passado e englobando os quatro principais itens exportados pelo setor – frango inteiro, cortes de frango, industrializados de frango e carne de frango salgada – levam à conclusão de que o volume total embarcado nos sete primeiros meses de 2018 recuou pouco mais de 8% - uma queda bem mais palatável que a redução superior a 13% apontada no fechamento dos resultados do primeiro semestre.

Uma vez que os resultados do último bimestre foram extremamente díspares, a conclusão a que se chega é a de que o volume e a receita de junho não foram tão baixos quanto os apontados, da mesma forma que os resultados de julho passado não corresponderam, necessariamente, aos recordes que muitos vêm comemorando. E, provavelmente, o melhor indicador do que realmente ocorreu esteja na média do bimestre, levando-se em conta, apenas, que julho, com 22 dias úteis, teve um dia útil a mais que junho.

Como distorções do gênero vêm sendo registradas desde abril – quando a SECEX/MDIC iniciou a implantação de novos sistemas de acompanhamento das exportações – o mais importante a registrar, neste instante, é que os embarques médios do último quadrimestre (abril/julho) estiveram sempre acima das 300 mil toneladas. Aliás, situaram-se próximos das 315 mil toneladas mensais, recuando menos de 4% em relação ao exportado no quadrimestre dezembro de 2017/março de 2018.

No acumulado desses sete meses, a receita cambial – pouco superior a US$3,6 bilhões – recuou mais de 12% em relação a idêntico período de 2017. Considerada, porém, a valorização apresentada pelo dólar no período, observa-se que a perda de receita, em moeda brasileira, não foi muito além dos 4%.







NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: