Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Domingo, 25/08/2019
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
OIE alerta para risco de agravamento da Influenza Aviária




Campinas, 28/02/2018 | 08:15

Fonte: AviSite | Autor: Redação

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) acaba de divulgar relatório sobre a situação mundial da Influenza Aviária em aves domésticas e alerta: os antecedentes sugerem que há sério risco de agravamento da doença.

Para a OIE ocorreram, até aqui, duas grandes ondas da doença. A primeira começou em 2004 e atingiu seu pico em 2006. A partir daí, paulatinamente, a atividade do vírus decresceu e o ciclo foi considerado encerrado em 2012.

A segunda onda considerada “panzoótica” começou em 2013, apresentando atividade máxima em 2015. Mas ainda não terminou, continua em 2018. E é considerada excepcional por, pelo menos, três razões: (1) pelo substancial número de países e regiões com registro de presença, em aves domésticas, do vírus de alta patogenicidade da Influenza Aviária; (2) pelo substancial número de casos (surtos) envolvendo granjas, criações de subsistência e, mesmo, pequenos criatórios domésticos; (3) pela grande diversidade de subtipos circulantes, ocorrência que torna o controle e a erradicação da doença extremamente complexos.

Abaixo, uma síntese do que ocorreu nos dois ciclos citados pela OIE. Clique aqui para acessar o relatório completo no qual a OIE analisa, entre outras questões, as diferenças e similaridades entre esses dois episódios, as características geográficas dos países e regiões afetadas, o impacto da presença do vírus na avicultura, bem como sua evolução e sua circulação na atualidade.

Nas mensagens finais de seu relatório, a OIE lembra que a ocorrência de casos no Hemisfério Norte está diretamente relacionada ao Inverno. O órgão não cita, mas as baixíssimas temperaturas que ora afetam praticamente toda a parte setentrional do Planeta representam, sem dúvida, o quarto fator de risco de agravamento mundial da Influenza Aviária.







NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: