Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Sábado, 18/08/2018
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Carne salgada: em seis meses volume embarcado caiu 25%




Campinas, 08/02/2018 | 08:57

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Excetuados os meses de junho de cada ano – quando vencem as cotas anuais com a União Europeia e o volume embarcado cai significativamente – as exportações brasileiras de carne de frango salgada têm representado perto de 5% do total exportado mensalmente. Mas, graças ao valor agregado, já chegaram a propiciar mais de 9% da receita cambial total.

Porém, depois da famigerada Operação Carne Fraca, isso tudo tornou-se passado. Porque, como mostrou ontem reportagem de Luiz Henrique Mendes para o jornal Valor Econômico (vide “País não consegue cumprir cota de exportação de frango salgado à UE”), os europeus passaram a fazer exigências antes inexistentes e, até, impossíveis de serem atendidas.

O efeito disso nas exportações mensais de carne de frango pode ser melhor aquilatado através do gráfico abaixo. Assim, com a nova cota vigente (a partir de julho de 2017) o volume de carne salgada retrocedeu, na média, 25,49%. Isto, enquanto as exportações globais de carne de frango aumentaram perto de 1,5%.

É verdade que, analisada a evolução relativa do volume exportado desde o início de 2015, o volume total embarcado mensalmente não apresentou crescimento significativo, pois, por exemplo, o resultado alcançado em dezembro de 2017 foi apenas 10% superior ao do início do período (primeiro semestre de 2015 = 100), com pico de quase 19% em agosto de 2016.

Mas a evolução registrada pela carne de frango salgada vinha sendo bem melhor. Partindo da mesma base “100” no princípio de 2015, superou os 23% de aumento em abril de 2016. E em dezembro daquele ano, mesmo sofrendo redução em relação a abril, manteve-se 17% acima do volume registrado no primeiro semestre de 2015.

A redução registrada nos seis primeiros meses de 2017 era esperada, pois representava o final da cota assinada em meados do ano anterior. Mas nesse meio tempo veio a Carne Fraca. E, com ela, a recuperação habitual não veio. Ao contrário: o volume de carne salgada exportada continuou decrescendo.

No final de 2017, a carne de frango salgada – que já chegou a responder por mais de 6% de toda a carne de frango exportada pelo Brasil – tinha sua participação reduzida a menos de 3% do total. E não há indícios de que isso sofra maiores alterações no decorrer de 2018.








NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: