Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Quarta-feira, 20/06/2018
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Preço do frango no varejo em 2017, segundo o Procon-SP




Campinas, 25/01/2018 | 08:30

Fonte: AviSite | Autor: Redação

De acordo com o Procon-SP, em 2017 “o quilo da carne de frango diminuiu 11,35%”, pois o preço médio – de R$6,08/kg em 29 de dezembro de 2016 – passou para R$5,39/kg em 26 de dezembro de 2017, data da última pesquisa efetuada no ano que passou.

Na verdade, o que o órgão paulista de defesa do consumidor quis dizer é que no encerramento de 2017 o frango resfriado estava custando 11,35% menos que um ano antes. Porque, considerados os preços mensais divulgados pelo próprio Procon-SP para 2016 e 2017, o preço médio do produto no ano passado ficou menos de 5% aquém do registrado em 2016.

Neste caso, aliás, é oportuno contrapor os preços registrados no varejo da cidade de São Paulo àqueles obtidos pelo setor produtivo no Grande Atacado paulistano. E a constatação, então, é a de que o recuo ocorrido atingiu também o atacado, mas foi quase três vezes superior ao que favoreceu o consumidor. Ou seja: enquanto no varejo o preço médio retrocedeu 4,9%, no atacado o retrocesso foi de 12,8%.

Mas o que mais chama a atenção neste caso são as diferenças na relação de preços (margens) entre o atacado e o varejo. Por exemplo, em 2016 – ano difícil para o setor produtivo devido ao altíssimo custo de produção – o adicional do varejo sobre o atacado chegou a 72% (abril/16). Mas quando, pela compulsória adequação da oferta, o valor do frango abatido no atacado passa a superar, pela primeira vez, a marca dos R$4,00/kg, essa diferença cai drasticamente. Em setembro ficou na metade do registrado em abril (36%), o que sugere margens elevadas em ocasiões anteriores.

De toda forma, em 2017 essas margens voltaram a subir. Daí o recuo de menos de 5% no varejo contra a redução de quase 13% enfrentada pelo atacado. Com isso, a margem observada no varejo em 2017 foi quase um quarto maior (24,2%) que a de 2016.

Mas – pergunta que fica – o aumento das margens foi manobra varejista ou simples decorrência do aumento da oferta?







NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS












NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: