Edição 100
10 Anos
Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Aplicativos
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Sábado, 21/04/2018
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
A posição dos Fiscais Agropecuários diante da greve


Fiscais Federais Agropecuários solicitam reajuste salarial para reposição de perdas acumuladas ao longo dos últimos anos.

Campinas, 17/09/2015 | 13:43

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Os Fiscais Federais Agropecuários, assim como as demais carreiras do serviço público federal, enfrentam neste momento uma extensa e árdua negociação por reposição salarial das perdas com a inflação dos últimos anos, além de pautas específicas, que vão desde a alteração da nomenclatura da carreira a questões administrativas próprias do Ministério da Agricultura.

Foi confirmada para início nesta quinta-feira (17), a greve dos fiscais federais agropecuários. Serão paralisadas as atividades em todos os locais e serviços com atuação de FFAs como superintendência, frigoríficos, portos e aeroportos.

A inflação desde o ano de 2010 até janeiro de 2015 foi de 38,6%. No mesmo período foi concedido um reajuste de 15,8%. Isto gera um déficit de 19%. Apenas para reposição das perdas.

De acordo com Consuelo Paixão, Delegada da Anffa Sindical (RS), em entrevista exclusiva ao AviSite, a categoria esclarece que estes dados referem-se apenas à reposição das perdas. “A proposta oriunda do Governo Federal é de 21,3% em 4 anos. A nossa contrariedade é o prazo oferecido pelo governo, pois o mesmo não leva em conta os próximos 4 anos”, afirma.


Consuelo Paixão, Delegada da Anffa Sindical, RS: “Os Fiscais Federais Agropecuários tem participação efetiva em todo o contexto do agronegócio.

Também está sendo solicitada a implantação do processo de meritocracia e a redução dos cargos de confiança, permitindo a realização de concurso público e a nomeação de mais servidores de carreira. Conforme dados levantados pelo Sindicato, 56% dos fiscais na ativa já têm condições de se aposentar.

Consuelo explica que, inicialmente, a ausência da meritocracia enfraquece a defesa agropecuária, pois são nomeadas pessoas sem capacidade técnica para ocupar estes cargos. Em um passado recente, o MAPA ficou 20 anos sem realizar concurso público e em função deste fato, o quadro técnico tornou-se envelhecido e a maior parte dos FFAs já possui atualmente condições de aposentadoria. “Por este motivo defendemos o concurso público para suprir as vagas existentes e para aumentar a quantidade de FFAs diante do crescimento do agronegócio. Vale ressaltar que estas contratações através de concurso público não devem ser encaradas como despesas e sim como investimentos, pois o agronegócio hoje é a âncora do PIB brasileiro”, diz.

Ela ainda afirma que é preciso destacar a importância dos Fiscais Agropecuários para a economia do país’. “Os Fiscais Federais Agropecuários tem participação efetiva em todo o contexto do agronegócio, o qual é responsável por 37% do PIB, 37% dos empregos diretos e 35% das exportações, sendo o responsável por sustentar a economia nacional há anos”, afirma a Delegada Sindical da Anffa (RS).

Realidade do trabalho de fiscalização no Brasil

Atualmente existem 2.900 fiscais na ativa, atuando nas áreas de fiscalização, nos portos, aeroportos, postos de fronteira, campos brasileiros, laboratórios, programas agropecuários, empresas agropecuárias e agroindústrias, relações internacionais e nas cidades, fiscalizando produtos vegetais, comércio de fertilizantes, corretivos, sementes, mudas e carnes, leite, pescados, mel e seus derivados. Os principais investimentos seriam nas áreas de capacitação, informática e a implantação da meritocracia, além da abertura de concurso público.

Consuelo Paixão acredita que um acordo será firmado com concessões de ambas as partes. “Infelizmente, a greve deflagrada hoje (17) está sendo um mecanismo necessário em virtude da dificuldade do governo em tomar decisões a respeito das negociações. Entendemos que o país atravessa um momento difícil e diante deste cenário, a categoria está disposta a fazer um sacrifício para facilitar o acordo’, diz.

Na AGNE realizada em 08/06/2015, os Fiscais Federais Agropecuários entraram em estado de assembleia geral permanente. Na última AGNE, realizada em 01/09/2015, decidiram aprovar o indicativo de greve.

“Salientamos o papel fundamental dos Fiscais Federais Agropecuários neste cenário, que apesar da crise econômica vivida pelo país, são atores essenciais na produção dos números positivos da balança comercial por meio do agronegócio, único setor em expansão nos últimos meses”, afirma. “Frente a este cenário, injusto com todos os servidores públicos federais, comunicamos oficialmente a deflagração de greve nesta quinta-feira. Por fim, manifestamos nossas expectativas que o diálogo prevalecerá e conclamamos a todos que se mantenham permanentemente em estado de mobilização, para decidir e participar deste momento importante da nossa carreira”, explica Consuelo Paixão.

Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!






NOTÍCIAS RELACIONADAS

NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS











NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: