Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Domingo, 25/08/2019
Siga-nos:
Trabalhos Técnicos
-->
CIÊNCIA & TECNOLOGIA - Trabalhos Técnicos

Saúde Avicola

Pontos Críticos na Cadeia Avícola Relacionados à Incidência de Fungos

Março de 2007 GIGLI, A.C.S.1, BARACHO, M.S.2, NÄÄS, I.A.3 1. Bióloga, Mestranda em Engenharia Agrícola. Depto. de Construções Rurais e Ambiência, Faculdade de Engenharia Agrícola, UNICAMP, Campinas – SP. 2. Bióloga, Pesquisadora Colaboradora. Depto. de Construções Rurais e Ambiência, Faculdade de Engenharia Agrícola, UNICAMP, Campinas – SP. 3. Engenheira Civil, Professora Titular. Depto. de Construções Rurais e Ambiência, Faculdade de Engenharia Agrícola, UNICAMP, Campinas – SP. RESUMO: O setor avícola brasileiro atingiu, graças ao avanço tecnológico e à competência dos profissionais ligados ao setor, em 2004, o posto de maior exportador e segundo maior produtor de carne de frango mundial. Embora o cenário seja extremamente favorável à economia brasileira, os produtores devem estar atentos às necessidades e exigências dos consumidores nacionais e internacionais, os quais impõem políticas protecionistas aos produtos brasileiros, reforçados com os recentes casos de Influenza Aviária, que abalaram significativamente o setor avícola. Com isto, fica claro que a preocupação com o bem-estar animal e sanidade deve ser levada em consideração na produção, destacando o estabelecimento de novos parâmetros de qualidade e adoção de métodos de controle internacionais, dentre eles o Hazard Analysis Critical Control Points (HACCP). Estes métodos incluem a questão de contaminação do ambiente por microorganismos patogênicos que podem trazer perdas produtivas na cadeia avícola como um todo. Fungos estão presentes em diversos ambientes e são capazes de se desenvolver e produzir toxinas, que por sua vez, se ingeridas por animais e dependendo da concentração, causam doenças e diminuição na qualidade do produto final. Além da ingestão de micotoxinas, pode-se também ressaltar a exposição dos animais confinados aos esporos destes microorganismos, que são carreados pelo ar. Tal exposição favorece o aparecimento de doenças respiratórias em aves, por exemplo, a aspergilose, bem como tornar os animais mais susceptíveis a infecções secundárias. O escopo deste trabalho é discorrer sobre os pontos críticos de incidência de fungos toxinogênicos na cadeia avícola, atendo-se, principalmente aos setores de incubação e corte, buscando estabelecer métodos de controle para evitar o desenvolvimento daqueles nesta atividade. PALAVRAS-CHAVE: avicultura, análise de pontos críticos, fungos. CRITICAL POINTS IN POULTRY CHAIN RELATED TO FUNGI INCIDENCE ABSTRACT: Brazilian poultry industry achieved, due to technological advances and professional commitment, in 2004, the main exporter and second major producer position in the world. Although the scenery is extremely satisfactory to Brazilian economy, producers should be concerned about national and international consumer demand, which impose protectionist politics to Brazilian products, highlighted by recent cases of avian Flu that has affected significantly the poultry industry. Therefore, it is very important consider animal welfare and sanity in production, centering attention on new standards establishments about quality and adoption of international control methods, such as Hazard Analysis Critical Control Points (HACCP). These methods include the question of environmental contamination by pathogenic microorganisms that cause productive losses on poultry chain. Fungi are spread in environment and are able to produce toxins that if ingested by animals and depending on the concentration cause disease and reduce product final quality. Besides the mycotoxin intake, the exposition of airborne spores liberated by microorganisms to confined animal promotes respiratory diseases incidence, as aspergilosis, and increases the suitability of secondary infections on birds. The main scope of this present work is discuss about the critical points of fungi incidence on poultry industry, mainly on hatchery and broiler environments, trying to establish control methods to avoid microorganisms occurrence on this activity. KEYWORDS: poultry, analysis critical points, fungi. INTRODUÇÃO: O avanço tecnológico permitiu a melhoria dos principais índices técnicos de produção avícola, entretanto, as exigências quanto à implementação de melhorias estão relacionadas cada vez mais à qualidade do produto final. As exigências pela qualidade da carne são cada vez maiores nos mercados nacional e internacional; o que evidenciou uma crescente preocupação com o bem-estar e a segurança animal, além de práticas de manejo adotadas na cadeia de produção de carne e ovos (MAZZUCO, 2006). Desde o início, a cadeia produtiva de frangos de corte no Brasil modernizou-se e ainda busca formas de melhoria d desempenho no setor, uma vez que países desenvolvidos como os da União Européia, estados Unidos e Japão impõem barreiras ao comércio internacional. Este processo ocorre de maneira bastante eficiente devido à competência do país no setor, comprovada pela posição alcançada em 2004 como maior exportador mundial de carne de frango (GIROTTO & ÁVILA, 2003; PEREIRA et al., 2006). Embora os resultados da avicultura brasileira sejam positivos, existe a forte preocupação com a manutenção da qualidade da carne produzida no país, cujo futuro pode ser comprometido caso ocorram problemas relacionados à sanidade animal. Os recentes episódios de epidemias globais, como o caso da Influenza Aviária, são um alerta e fizeram que as atenções se voltassem para a realidade sanitária da avicultura brasileira (MARTINS et al., 2006). As questões relacionadas ao controle da sanidade sobre produtos de origem animal, e conseqüentemente a qualidade dos alimentos, têm influenciado a dinâmica do comércio mundial das aves, estabelecendo novos parâmetros de competitividade associados aos processos de certificação, tal como o Hazard Analysis Critical Control Points (HACCP), o qual busca estabelecer o controle em todo o processo produtivo, considerando a matéria-prima, o processamento e o ambiente, cujos riscos de contaminação englobam, principalmente, microorganismos patogênicos (MARTINELLI & SOUZA, 2006). Estes processos compreendem série de medidas que visam reduzir a entrada de patógenos, reduzir riscos de multiplicação e contaminação bacteriana e fúngica, sendo que este controle deve ser rígido em toda a cadeia de produção avícola, principalmente no processo de incubação (PETINE, 1990). Fungos são comumente encontrados na natureza e seus esporos são considerados alérgenos potenciais; além disso, de acordo com LI & YANG (2004), são patógenos oportunistas e ocasionalmente causam doenças infecciosas em animais suscetíveis e imunossuprimidos. Estes autores afirmam que as exposições de animais a esporos de fungos e seus subprodutos são complicadas uma vez que existe envolvimento de agentes múltiplos, reações de hipersensibilidade dentre outras conseqüências à saúde, entretanto, a literatura não aponta com precisão os efeitos da inalação de diversos compostos fúngicos. Os esporos podem estar presentes na ração, na cama dos aviários bem como no ar, contaminando o ambiente avícola, seja este um galpão de matrizes, frango de corte ou interior do incubatório. A cama de um aviário tem com objetivo impedir o contato direto dos animais com o piso, promover a absorção de água, incorporar fezes e penas, além disso, é excelente material para evitar as oscilações de temperatura no interior do aviário, contribuindo para o conforto das aves (OLIVEIRA & CARVALHO, 2002). Entretanto, a cama pode ser reservatório de fungos toxinogênicos, tais como Aspergillus sp., possibilitando contato e inalação de esporos causadores de aspergilose, doença infecciosa não-contagiosa que afeta humanos, outros mamíferos e principalmente aves silvestres e domesticas (AKAN et al., 2002). GIGLI et al. (2004) avaliaram a presença de fungos toxinogênicos na cama em diferentes aviários de frango de corte, com diferentes sistemas de ventilação e densidade de aves, comprovando a presença de fungos do gênero Fusarium sp. e Aspergillus sp. (TABELA 1), destacando, dentre estes a ocorrência de Aspergillus niger. Tabela 1. Fungos identificados na cama em galpões de frango de corte em porcentagem (GIGLI et al., 2004). Estes mesmos autores também avaliaram, nestes mesmos galpões, a qualidade do ar quanto à presença destes microorganismos; a análise levou em consideração a presença de fungos também no exterior das instalações, levantando uma contaminação pelo gênero Aspergillus sp., seguido por Penicillium sp.(TABELA 2), ambos citados na literatura como principais causadores de doenças respiratórias em aves e potenciais produtores de micotoxinas (GIGLI et al., 2005a). Tabela 2. Gêneros de fungos identificados no ar dos galpões de frango de corte em porcentagem (GIGLI et al., 2005a - adaptado). Fungos também podem ser introduzidos em incubatórios de várias maneiras, podendo se disseminar rapidamente se não houver sistema de desinfecção adequado, trazendo transtornos à produção devido à contaminação de pulmões e sacos aéreos, ocasionando a mortalidade do embrião e aves jovens (OUCKAMA, 1996; RICHARD, 1997). A presença de Aspergillus sp. foi confirmada por GIGLI et al. (2005b) em incubatório, onde existe contaminação das máquinas de incubação e principalmente dos nascedouros (TABELA 3), onde houve predominante incidência de A. fumigatus, um dos principais agentes micóticos causadores de morte embrionária durante todo o processo de incubação. Tabela 3. Média de UFC/m³ na incubadora, nascedouro e sala de pintos (GIGLI et al., 2005b – adaptado). CONCLUSÕES: O desenvolvimento de fungos ocorre praticamente durante todas as etapas da produção avícola. Em galpões de frango de corte a incidência destes microorganismos ocorre de forma homogênea quando falamos em tipologias diferentes de aviários e até mesmo diferentes densidades de aves, entretanto, em ambientes como o do incubatório, observa-se incidência crítica de microorganismos no interior do nascedouro, levando o pintainho a precoces problemas pulmonares e redução de seu desempenho no campo. Além disso, os fungos identificados são aqueles de interesse médico veterinário por afetar a saúde do animal, seja por inalação de esporos, seja por produção de micotoxinas e outros metabólitos voláteis que irão interferir negativamente na qualidade do ar. Por fim, devido a atual preocupação com a qualidade do produto final para que se possa atender aos mercados interno e externo, principalmente quando se trata de aspectos sanitários, este trabalho nos mostra a importância de controlar a contaminação por fungos toxinogênicos em toda a cadeia avícola, que deve ser precisa, otimizada e concentrada sobre seus pontos críticos ao longo da cadeia de produção, buscando assim contornar problemas sanitários e aumentar o desempenho das aves, bem como a qualidade da carne. AGRADECIMENTOS: A FAPESP pela bolsa de mestrado. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AKAN, M.; HAZIROGLU, R.; ILHAN, Z.; SAREYYÜPOGLU, B.; TUNCA, R. A case of aspergillosis in a broiler breeder flock. Avian Diseases, v.42, n.2, p.497-501, april/june, 2002. GIGLI, A.C.G.; ZAGO, R.; BARACHO, M.S.; DALL’ANESE, F.P.; NÄÄS, I.A. Microbiologia da cama em criações de frango de corte. In: Prêmio de Pesquisa Avícola – José Maria Lamas da Silva – Suplemento da Brazilian Journal of Poultry Science, Santos. Anais... Campinas:FACTA, p.132, 2004. GIGLI, A.C.G.; BARACHO, M.S.; NÄÄS, I.A. Qualidade do ar interno e externo de instalações de frango de corte. In: V Workshop de Pós-Graduação – Em busca da excelência, Campinas. Anais... Campinas: FEAGRI/UNICAMP, 2005a. GIGLI, A.C.S.; BARACHO, M.S.; NÄÄS, I.A. Qualidade do ar em incubatório: um estudo de caso. In: Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola, 34, 2005, Canoas. Anais... Canoas: ULBRA, P.4, 2005b. GIROTTO, A.F.; ÁVILA, V.S. Aspectos da produção, exportação e consumo e custos de produção e implantação de aviários. , 18/08/2005. LI, D.W.; YANG, C.S. Fungal contamination as a major contributor to sick building syndrome. Advances in Applied Microbiology, v.55, p.21-112, 2004. MARTINELLI, O.; SOUZA, J.M. Relatório Setorial – Final: Setor carne de aves. , 17/04/2006. MAZZUCO, H. Bem-estar na avicultura de postura comercial: Sob a óptica científica. Avicultura industrial, n.01, ano 97, p.18-20, 2006. OLIVEIRA, M.C.; CARVALHO, I.D. Rendimento e lesões em carcaças de frangos de corte criados em diferentes camas e densidades populacionais. Ciênc. Agrotec., Lavras, v.26, n.5, p.1076-1081, set./out., 2002. OUCKAMA, R.M. Monitoramento de Aspergillus, ataques microbianos e vacinação contra a doença de Marek no programa de qualidade dos incubatórios. In: INTRNATIONAL POULTRY CONSULTANTS. Clínica de Incubação. Brasília, IPC, p.1-13, 1996. PEEIRA, L.L.N.; SILVEIRA, E.T.F.; BARAQUET, N.J.; PENETATE, A.; ANDRADE J.C.; BUZELLI, M.L. adição de complexo vitamínico na dieta de frangos e seus efeitos no estresse pré-abate, qualidade da carcaça e carne. Avicultura Industrial, n.01, ano 97, p.32-36, 2006. PETINE, A. Higiene e controle de qualidade no incubatório. In: FACTA – Fundação APINCO de Ciência e Tecnologias Avícolas. Curso de atualização em incubação. Ed. Arbor acres Farm. Inc.. Campinas, p.101-107, 1990.


Saúde Avicola









































Ir para a página:  1   2   Próxima >>

CATEGORIAS

Administração, Economia, Planejamento e Política Avícola (10)

Ambiência (27)

Equipamentos (3)

Estrutiocultura (2)

Genética (1)

Incubação (9)

Manejo (31)

Meio Ambiente (1)

Nutrição (67)

Outras Áreas (31)

Produção (18)

Saúde (3)

Saúde Avicola (68)

REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: