Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Quarta-feira, 22/01/2020
Siga-nos:
Trabalhos Técnicos
-->
CIÊNCIA & TECNOLOGIA - Trabalhos Técnicos

Saúde Avicola

CAV - Projeto de Detecção do Vírus da Anemia das Galinhas

Canal, Wageck, c. UFRGS/CDPA - Revista Sanidade Avícola O projeto detecção das infecções pelo vírus da anemia das galinhas (CAV) por Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) e ELISA, está em andamento no CDPA e conta com o apoio da Associação Gaúcha de Avicultura (ASGAV). O projeto visa a geração de dados fundamentais para uma melhor avaliação da importância econômica e para a elaboração de estratégias de controle mais eficientes contra o CAV. O vírus da anemia das galinhas (CAV = “chicken anemia virus”) foi isolado pela primeira vez por Yuasa e colaboradores no Japão em 1979 e, desde então, sua presença tem sido descrita em criações comerciais em todo o mundo. Aves de todas as idades são suscetíveis à infecção pelo vírus, mas somente pintos jovens sem proteção por anticorpos maternos desenvolvem a doença. Embora as galinhas diminuam a tendência à apresentação de sintomas com a idade, elas podem tornar- se infectadas e excretar o CAV em qualquer idade. A infecção de aves jovens e suscetíveis resulta num aumento da mortalidade que pode atingir 30%. A infecção pelo CAV causa anemia aplástica, imunodepressão e atrofia linfóide em galinhas jovens. Seguidamente ocorrem infecções secundárias por vírus, bactérias ou fungos que complicam o curso da doença e mascaram o CAV como o agente etiológico desencadeante da doença. As aves jovens afetadas encontram-se deprimidas, com crescimento retardado e pálidas. O impacto econômico da doença é expresso pela mortalidade de 10% a 30% nos surtos, e pela baixa conversão alimentar das aves infectadas devido às infecções sub-clínicas. Anticorpos das matrizes transferidos pelo ovo provêm proteção completa, desde que os pintos não estejam imunodeprimidos por outros fatores. Devido a estes fatos, a mais eficiente forma de prevenção e controle é a vacinação ou infecção das matrizes, nunca depois de três a quatro semanas antes da coleta dos primeiros ovos para incubação. Os objetivos específicos do projeto de pesquisa serão: 1) Estabelecer métodos para a detecção do CAV por PCR (Reação em Cadeia pela Polimerase). 2) Determinar a porcentagem de granjas de matrizes com anticorpos contra o CAV e a uniformidade dos títulos por ELISA. Para este último objetivo, convidamos as empresas avícolas interessadas em participar para coletar e enviar ao CDPA os soros que serão gratuitamente analisados em nosso laboratório. Deverão ser coletados soros de matrizes destinadas à produção de frangos de corte e poedeiras comerciais de diferentes lotes. Serão testados 30 soros por lote, quatro lotes de cada empresa avícola participante, com as seguintes idades Os resultados serão fornecidos para as respectivas empresas, além de integrarem uma publicação final onde nos comprometemos a manter em sigilo o nome das empresas participantes. O endereço para remessa dos soros é: Prof. Dr. Cláudio Wageck Canal - Projeto CAV Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Aviária (CDPA) Faculdade de Veterinária - Universidade Federal do Rio Grande do Sul Av. Bento Gonçalves 8.824 - Agronomia 91.540-000 - Porto Alegre - RS Fones (051) 316 6130 e 316 6138 - Fax (051) 339 1062 E-mail: canal@dna.cbiot.ufrgs.br


Saúde Avicola









































Ir para a página:  1   2   Próxima >>

CATEGORIAS

Administração, Economia, Planejamento e Política Avícola (10)

Ambiência (27)

Equipamentos (3)

Estrutiocultura (2)

Genética (1)

Incubação (9)

Manejo (31)

Meio Ambiente (1)

Nutrição (67)

Outras Áreas (31)

Produção (18)

Saúde (3)

Saúde Avicola (68)

REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: