Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Domingo, 25/08/2019
Siga-nos:
Trabalhos Técnicos
-->
CIÊNCIA & TECNOLOGIA - Trabalhos Técnicos

Saúde Avicola

Efeito da fumigação de nascedouros com formaldeído sobre o trato respiratório e desempenho de frangos de corte

Adriana Garcia de Freitas Orientador: Prof. Dr. Paulo Lourenço da Silva Co-orientador: Prof. Dr. Marcelo Emílio Beletti Resumo Foi conduzido um estudo com o objetivo de avaliar o efeito da fumigação com formaldeído (37%) dos ovos no nascedouro, sobre as alterações histológicas micro e ultra-estruturais do trato respiratório de pintos de corte recém-eclodidos e no desempenho produtivo do frango de corte. Os tratamentos foram definidos de acordo com o tempo de exposição e concentração de formaldeído utilizado no nascedouro, sendo: T1 (troca da formaldeído a cada seis horas); T2 (troca da formaldeído a cada nove horas); T3 (troca da formaldeído a cada doze horas); e T4 (grupo controle, não foi utilizado formaldeído). Amostras de traquéia e pulmões dos pintos foram coletadas após a exposição ao formaldeído e examinadas ao microscópio de luz e ao microscópio eletrônico de transmissão, para avaliação de alterações estruturais. Foram observadas as seguintes lesões: acúmulo de muco; áreas de deciliações; aglutinações ciliares; áreas de descamações e infiltrações de heterófilos. Para avaliações do desempenho produtivo foram utilizados 600 pintos de cada tratamento (concentrações de formaldeído), os quais foram alojados em galpão experimental. O delineamento estatístico utilizado, de todas as análises, foi inteiramente casualizado. Para análises estatísticas dos resultados obtidos das avaliações ultra-estruturais, utilizou-se o teste nãoparamétrico de Wilcoxon. Para análises estatísticas dos resultados obtidos das avaliações microestruturais, utilizou-se o teste não-paramétrico de Kruskal- Wallis. Foi utilizado o teste estatístico T-Student (α = 0,05) para verificar diferenças entre as médias dos dados de desempenho das aves quando houve distribuição normal dos dados; quando a distribuição não foi normal, utilizou-se teste não-paramétrico de Wilcoxon para verificar diferença entre grupos. Para todas as variáveis foi considerado um nível de significância de α= 0,05. A utilização do gás formaldeído durante todo o processo de eclosão causa alterações ultra e microestruturais na traquéia e pulmões de pintos de corte, sendo as mais freqüentes as áreas de deciliação, ruptura da membrana ciliar, aglutinação ciliar, áreas de descamação no epitélio e infiltrações de heterófilos, no entanto não foram encontradas diferenças estatísticas entre os tratamentos. A exposição de pintos ao formaldeído na máquina de eclosão não influenciou o desempenho produtivo destas aves. Portanto, o gás formaldeído, nesta etapa, deve ter seu uso minimizado devido às alterações ultra e microestruturais na traquéia e pulmões de pintos recém-eclodidos, devendo a avicultura industrial desenvolver método de desinfecção menos danoso para as vias respiratórias superiores de pintos recém-eclodidos. Palavras-chave: Alterações histológicas, desempenho, formaldeído, frangos, fumigação, pulmão, traquéia Clique aqui para ler o trabalho completo.


Saúde Avicola









































Ir para a página:  1   2   Próxima >>

CATEGORIAS

Administração, Economia, Planejamento e Política Avícola (10)

Ambiência (27)

Equipamentos (3)

Estrutiocultura (2)

Genética (1)

Incubação (9)

Manejo (31)

Meio Ambiente (1)

Nutrição (67)

Outras Áreas (31)

Produção (18)

Saúde (3)

Saúde Avicola (68)

REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: