Revista do AviSite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Legislação
Busca Avançada
Cadastre-se
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Sábado, 04/07/2020
Siga-nos:
Trabalhos Técnicos
-->
CIÊNCIA & TECNOLOGIA - Trabalhos Técnicos

Nutrição

Comedouros - Tipos - Vantagens e Desvantagens

José Eduardo Butolo - Supremais Portal MegaAgro O alimento, tanto quanto a água tem importância muito grande na criação de frangos de corte, pois é responsável para que o animal expresse todo seu potencial genético de produção de carne. Em termos econômicos, representa 70% do custo da produção. Tem que ser muito bem formulado e produzido com ingredientes de comprovada qualidade nutricional e micro biológica, visando atender a demanda de crescimento de, diferentes tecidos e diferentes sistemas do organismo, nas sua diferentes fases (semanas) de crescimento, pois dispomos de apenas, 1.176 horas para produzirmos um frango de corte (lotes mistos), com peso médio de 2.650 gramas em 49 dias. Para atingir esses objetivos a ave necessita de uma disponibilidade contínua de alimento e para tanto devemos utilizar os comedouros, que têm como principal função, fornecer esse alimento de forma limpa, homogênea e sem desperdício, permitindo livre acesso. Um bom sistema de alimentação, além de atender as necessidades da ave, deve ser de baixo custo, pouca manutenção e priorizar a economia de mão de obra. Existem diversos fatores que afetam o consumo do alimento, mesmo ele estando à disposição de forma livre e em equipamentos adequados, preliminarmente podemos resumir que o consumo do alimento é o resultado de uma interação ampla entre a genética (diferentes linhagens), o ambiente, a sanidade, a nutrição e o manejo. TIPOS DE COMEDOUROS Na última década, vários tipos de comedouros têm sido desenvolvidos e adaptados, passando desde sistemas manuais, aos automáticos (tipo calha com corrente, cabo-disco, até os atuais helicoidais, denominados de tuboflex). É muito importante, independente do tipo de comedouro adotado, separarmos muito bem duas fases bem distintas na criação de frangos de corte. Até os primeiros 14 dias, fase inicial e dos 15 aos 49 dias, fase de engorda,. Os comedouros a serem utilizados na primeira fase, são denominados "infantis", que podem ser os do tipo bandeja, prato automático, ou tubularzinho. >>Fase inicial - comedouro tipo bandeja - utilizado nos primeiros dias de vida, na proporção de uma bandeja para 80 pintos. Apresenta uma grande desvantagem, pois os pintos ao entrarem no comedouro para se alimentar, sujam a ração com cama, fezes e umidade que vai fermentar o alimento, afetando a qualidade nutricional. Além desse sérios inconvenientes, a mão de obra despendida é de alto custo. Não recomendamos esse tipo de comedouro. >>Comedouro prato automático - também utilizado nos primeiros dias de vida, na base de 1 comedouro para cada 45 pintos. Não apresenta todas as desvantagens do tipo bandeja, mas os pintos entram na borda e contaminam o alimento com cama e o desperdício de ração embora menor, existe. A necessidade de limpeza e adição de alimento, face a sua capacidade, também representa mão de obra onerada. A vantagem é que é um comedouro barato. >>Comedouro "tubularzinho infantil" - é o que mais se adapta às condições atuais de criação e funciona como um comedouro "automático", pois a ração, após a regulagem da abertura do tubo depósito com o prato, é disponibilizada "automaticamente" (fluxo contínuo) após o consumo pelos pintainhos. Como não existe nenhum sistema eletro mecânico nesse tipo de equipamento, ele deve ser manejado manualmente, isto é, o tratador, várias vezes ao dia, agita esse comedouro, para que o prato esteja sempre com o alimento disponível. A maior vantagem desse equipamento, é que os pintainhos não conseguem entrar na borda do prato e consequentemente não há contaminação e nem desperdício de alimento. Seu custo de aquisição e manutenção é baixo. Devemos utilizar 1 tubularzinho para cada 80 pintainhos. A desvantagem é que exige do tratador um esforço no tocante ao manejo e abastecimento que é feito manualmente. Já foram realizados vários experimentos observando-se o desempenho das aves nessa fase inicial, comparando-se os diferentes tipos de comedouros "infantis" e os resultados mostraram melhor performance para o tubularzinho, tanto em ganho de peso e conversão alimentar, principalmente pelo fato de não haver desperdício de alimento. Devemos sempre lembrar que tudo o que for realizado nessa fase, a recompensa será um melhor desempenho na fase final. >>Comedouros para a fase de engorda - Passados os primeiros dias mais críticos, é necessário que estejam disponíveis os comedouros a serem utilizados na fase de engorda; antes porem, de serem retirados os comedouros utilizados na fase inicial, (independente do tipo) e, à medida que se observa que as aves se alimentam sem dificuldade no novo tipo de comedouro, deve ser iniciada a retirada dos primeiros gradativamente, levando de 3 a 4 dias para completar a substituição. Para a fase de engorda, existem 3 opções de comedouros - calhas automáticas, tubulares e o sistema de tubos e pratos automáticos (tuboflex) >>Calhas automáticas - comedouros tipo calha que formam circuito fechado, passando uma corrente pelo seu interior que transporta o alimento por toda a extensão do galpão, retornando sempre a uma caixa de distribuição. As desvantagens desse tipo de comedouro, são os acidentes com as aves que se alimentam dentro da calha e são levadas pela corrente em movimento até os cantos, onde mesmo com proteções, a incidência de mortalidade é grande. O desperdício de ração e a escolha pelas aves em comedouros de baixa e alta rotação ocorre, gerando desuniformidade no lote. A sua vantagem é a facilidade de manutenção e o preço. Não recomendamos a sua utilização em frangos de corte. >>Tubulares - As características desse equipamento são as mesmas do "tubularzinho infantil", só que a quantidade de ração é maior e o número de aves por comedouro é de 40 a 50 aves. Vantagens desse equipamento: a distribuição uniforme da ração por todo o interior do galpão, seu desempenho, seu preço, além da fácil manutenção. A desvantagem é que por ser um sistema manual, está sujeito a falhas de mão de obra, pois exige do tratador um maior esforço. >>Tuboflex - Comedouros com tubos onde internamente estão helicóides que transportam automaticamente o alimento para os pratos de maneira uniforme. Apresentam as mesmas qualidades dos comedouros tubulares. Por estar associado aos silos de armazenamento de ração, situado na parte externa do galpão, automatiza inteiramente o arraçoamento, desde o caminhão graneleiro. até o prato da ração. Os pratos de ração medem 33 cm. de diâmetro, e devem ser usados, numa distância, entre eles, de 0,75 a 1,00 metro. São suficientes para 40 a 60 frangos/prato. Desvantagens desse tipo de equipamento: investimento mais elevado, e a necessidade de um gerador para o caso de faltar energia elétrica durante a criação do lote. A maior vantagem é que o animal regula suas necessidades sem o auxílio da mão de obra, às vezes despreparada, do tratador.


Nutrição









































Ir para a página:  1   2   Próxima >>

CATEGORIAS

Administração, Economia, Planejamento e Política Avícola (10)

Ambiência (27)

Equipamentos (3)

Estrutiocultura (2)

Genética (1)

Incubação (9)

Manejo (31)

Meio Ambiente (1)

Nutrição (67)

Outras Áreas (31)

Produção (18)

Saúde (3)

Saúde Avicola (68)

Saúde Pública (1)

REVISTA ONLINE