Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Notícias
Clippings
AviGuia
AviSite
OvoSite
Trabalhos Técnicos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Quinta-feira, 12/12/2019
Siga-nos:
Trabalhos Técnicos
-->
CIÊNCIA & TECNOLOGIA - Trabalhos Técnicos

Ambiência

Nível de Conforto Térmico para Aves, Durante a Espera no Abate em Função da Localização dos Caminhões Transportadores

I.J.O . SILVA 1; D. LAGATTA1 *; D. S. PEDROSO1; J.T.R. VENERO 1 ; S.M.S. PIEDADE 2 ; I. A . NÄÄS 3 Site Mundo Avícola 1. Departamento de Engenharia Rural - ESALQ/USP - Piracicaba - SP - Brasil 2. Departamento de Matemática e estatística - ESALQ/USP - Piracicaba - SP - Brasil 3. Departamento de Construções Rurais - FEAGRI/UNICAMP - Campinas - SP - Brasil. INTRODUÇÃO Existem uma série de problemas com o bem estar dos frangos de corte, associados ao manejo pré - abate e transporte, como: ferimentos, carcaças, estresse fisiológico, altos índices de mortalidade, Nico e Scott (b). Mesmo durante o transporte, além das condições ambientais externas (macroclima) e internas das caixas (microclima), somam-se os efeitos da densidade por caixa, influenciando os altos índices de mortalidade nesta fase, Scholtyssek e Ehinger (c). Além desses fatores, sabe-se que o tempo de espera para o abate varia de acordo com a capacidade do abatedouro, o que , por sua vez, poderá aumentar ou reduzir o tempo de espera e consequentemente, o tempo de exposição ao estresse Mesmo sabendo-se, que durante o transporte as aves são estressadas, será no abatedouro que esses reflexos serão observados. Portanto,ambiente no qual os caminhões transportadores ficam estacionados durante o período de espera, para a descarga, passa a ter uma importante função, na redução dos efeitos ambientais, sobre as exigências termoneutras das aves, Bayliss e Hinton (a). Diante do exposto esse experimento teve como objetivo analisar as condições de conforto em ambientes de espera pré abate, interagindo com o tempo de espera, e seus reflexos na mortalidade do lote. Material e Métodos Experimento foi realizado em um abatedouro comercial, durante o verão de 1997. Durante todo o processo, desde o carregamento dos caminhões na granja, até o momento do abate, foram registrados os dados experimentais. Dentre eles, densidade das aves por caixa, temperatura de globo negro, temperatura bulbo seco e úmido, velocidade do vento, tempo de carregamento, transporte, espera, até a descarga definitiva para abate. O período de coleta de dados na maioria das vezes foi das 19:00hs (ínicio da carga) até as 14:00hs (abate), totalizando em média 19:00hs de duração entre a carga e o abate. A coleta de dados repetiu durante 10 dias alternados. Na avaliação estatística dos dados, adotou-se uma correlação entre os fatores, associando tempo de espera, localização dos caminhões, densidade de aves/caixa adotando como variável resposta a mortalidade do lote. O estudo foi realizado para os dias de maior desconforto e também os mais confortantes, utilizando os valores de entalpia para a seleção dessas condições de acordo com a zona de termoneutralidade das aves. Resultados e Discussão: Os resultados mostraram que houve diferença siginificativa entre a densidade de aves por caixa durante o transporte, quando associados com a mortalidade dos lotes, e da idades das aves, quando submetidas a tempos de espera diferenciados para o abate. Figura 01. Variação dos valores de mortalidade e do tempo de espera, em três diferentes ambientes, onde os caminhões transportadores aguardam a descarga para o abate. Com relação a densidade de aves por caixa durante o transporte das granjas para o abatedouro, verificou-se que houve diferença significativa quando correlacionado com a mortalidade das aves. Essa variação com relação a densidade foi observado em função da idade das aves, o que pode ser observado na tabela abaixo. Os reflexos das variáveis ambientais na localização dos ambientes de espera pode ser observado na figura 02. Obtém-se o comportamento do índice de carga térmica de radiação durante o período de noturno. Bibliografia: BAYLISS, P.ª; HINTON, M.H. Transportation of broilers with special reference to mortality rates. Applied Animal Behaviour Science, 28(1-2):93-118,1990. - (a) NICO, C.J.; SCOTT, G.B. Pre-slaughter handling and transport of broiler chickens. Applied Animal Behaviour Science, 28(1-2):57-73, 1990. - (b) SCHOLTYSSEK, S.; EHINGER, F. Effects of transportation on broilers and brolier carcasses. Translation AFRC Institute of Engineering Research, n°24. 18pp. 1991. - ©


Ambiência



























CATEGORIAS

Administração, Economia, Planejamento e Política Avícola (10)

Ambiência (27)

Equipamentos (3)

Estrutiocultura (2)

Genética (1)

Incubação (9)

Manejo (31)

Meio Ambiente (1)

Nutrição (67)

Outras Áreas (31)

Produção (18)

Saúde (3)

Saúde Avicola (68)

REVISTA ONLINE

Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: