domingo, 29 de maio de 2022

Epagri/Cepa estima 43% de perdas na safra catarinense de milho e de cerca de 30% na de soja

As chuvas irregulares e mal distribuídas em dezembro e janeiro em Santa Catarina podem acarretar perdas

As chuvas irregulares e mal distribuídas em dezembro e janeiro em Santa Catarina podem acarretar perdas de em média 43% na safra catarinense do milho e de cerca de 30% na de soja, segundo estimativas da  Epagri/Cepa. A estiagem iniciou após dia 20 de novembro, quando mais de 50% das lavouras de milho estavam em fase de floração, período sensível à falta de umidade no solo. A continuidade da estiagem e das altas temperaturas pode aumentar ainda mais as perdas.

Milho

A previsão inicial para Santa Catarina era de uma produção de 2,79 milhões de toneladas do grão na primeira safra. A área cultivada no estado se estabiliza em cerca de 330 mil hectares, de acordo com o Infoagro. A estimativa da Conab para a safra brasileira do milho caiu mais de duas mil toneladas: a previsão inicial era 117,18 milhões de toneladas e agora a estimativa está em 112,9. O preço da saca do milho em Santa Catarina no início de 2022 está em cerca de R$95,00.

Segundo o engenheiro-agrônomo da Epagri/Cepa, Haroldo Tavares Elias, o impacto no rendimento das lavouras é diferente em cada região, de acordo com déficit hídrico. “A redução da produtividade é muito variável, sendo estimada entre 20 a 80% entre e dentro das microrregiões geográficas. Em várias regiões o efeito da estiagem acarreta perdas na produção acima de 40%”, explica. As regiões do Oeste, extremo Oeste e Planalto Norte são as que mais sofrem com a falta de chuva.

O início da colheita registra produtividades de 120 a 130 SC/ha, oriundas de áreas com período de semeadura que ocorreram mais cedo (final de agosto), na região do Vale do Rio Uruguai. “No entanto, a maior parte das áreas foram semeadas de setembro em diante e foram mais impactadas pela estiagem no período de floração das lavouras”, afirma Haroldo.

O baixo índice de chuva está relacionado ao “La Niña”, fenômeno climático que provoca a diminuição da temperatura das águas do oceano pacífico tropical central e oriental e impacta o regime de chuvas. A influência em Santa Catarina e Sul do Brasil são chuvas abaixo do esperado para este período e temperaturas elevadas. Em janeiro de 2022, o déficit hídrico se prolonga, caracterizando a anomalia climática.

A redução da produtividade é muito variável, sendo estimada entre 20 a 80% entre e dentro das microrregiões geográficas (Foto Epagri/Cepa).

Soja

A Epagri/Cepa estima perdas de cerca de 30% na produção de soja em Santa Catarina, queda também devido à  baixa precipitação pluviométrica registrada desde novembro de 2021 no Estado e na região Sul do Brasil.  A estimativa inicial estava projetada em 2,63 milhões de toneladas em 698 mil hectares (primeira safra).  A estimativa brasileira de produção da safra 2021/22 teve um ajuste, passando de 142,79 milhões de toneladas para 140,5 milhões de toneladas, também ocasionada por problemas climáticos adversos a cultura, principalmente no sul do Brasil. 

As regiões catarinenses onde se concentram a maior área de cultivo são Canoinhas, Xanxerê e Curitibanos/Campos Novos, que somam mais de 55% do total cultivado no estado. Os prejuízos são diferenciados entre as regiões em função do calendário de plantio. A soja de ciclo precoce foi a mais afetada, em função do período crítico da estiagem ocorrer na fase de floração (período mais sensível à falta de umidade no solo). Esses cultivares têm menor tempo de recuperação. As altas temperaturas potencializaram os danos, provocando queima das folhas e encurtamento do ciclo da planta.

No início de 2022, os preços estão sendo orientados por fatores que apontam para a elevação das cotações. A forte estiagem no Sul e excessos de chuvas no Oeste da Bahia e Tocantins devem impactar na produção nacional.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Notícias Relacionadas

Revista AviSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

revista01

Avicultura de corte brasileira chegou a novos e inéditos resultados em 2021

Revista do AviSite faz um balanço do ano de 2021 trazendo os números de alojamento de matrizes de corte, produção de pintos de corte, produção, exportação e disponibilidade de carne de frango e disponibilidade per capita aparente de carne de frango. Página 22.

revista02

Influenza Aviária: os reais perigos dos novos surtos de H5N1

Com o crescimento de casos da cepa H5N1 em todo o mundo, aumenta a preocupação em manter o Brasil livre da enfermidade. Portanto, especialistas alertam para a necessidade de manutenção dos programas de biosseguridade, avaliando potenciais fragilidades e mitigando riscos. Página 30.

revista03

Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de suínos e aves

Estudos da Embrapa mostram que o arroz pode complementar ou substituir o milho na ração animal. Página 36.

Fotografias Noelly Castro

União Europeia sanciona lei que bane uso indiscriminado de antibióticos e estimula o bem-estar na criação animal

Brasil deve ser impactado em relação às vendas da avicultura. Expectativa é de efeito positivo em outros países, inspirando a modernização de leis que visem à promoção de sistemas mais éticos e sustentáveis e a mitigação dos riscos de resistência antimicrobiana. Página 56.

revista04

Terceira geração de selênio: L-SeMet, OH-SeMet ou Zn-SeMet, quais são as diferenças?

Estudos sugerem que a forma de selênio ofertada na dieta determina sua eficiência e, dessa maneira, influencia o atendimento do requerimento nutricional dos animais. Página 42.

Melina Bonato

Conceitos de imunonutrição aplicados a avicultura

Este conceito é entendido e aplicado à nutrição animal há bastante tempo, já que os conhecimentos nas áreas de nutrição, sanidade, manejo e ambiência são bastante avançados; no entanto, apenas há alguns anos, o termo “imunonutrição” vem sendo usado efetivamente. Página 46.

frango (88)

Superdosagem de fitase proporciona bons resultados para combater miopatias em frangos de corte

A necessidade de resolver o problema associado à alta incidência de distúrbios metabólicos, como miopatias, tem atraído enorme atenção do setor. Página 48.

frango (45)

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade, levando a alterações dos parâmetros produtivos. Página 50.