sexta-feira, 27 de maio de 2022

Efeito da Seleção para Características Produtivas Sobre o Desenvolvimento Embrionário em Linhagens Maternas para Corte

G.S. Schmidt E.A.P. de Figueiredo M.C. Ledur H.J. Alves

INTRODUÇÃO Na produção comercial de pintos, desde a fertilização até a eclosão, é afetado por vários fatores, controláveis ou não, que determinam a eficiência da incubação e qualidade do pinto. Existe uma série de componentes endógenos ou genéticos, que contribuem para a variabilidade de desenvolvimento, que podem interagir com as variáveis de ambiente. Características genéticas individuais e (ou) linhagem afetam a correlação do peso do ovo e peso do pinto. Whiting & Pesti (1) verificaram que em linhagens anãs (Dwarf) o peso do pinto correspondia a 67,3% do peso do ovo, enquanto nas linhagens normais à 68,4%. Os autores sugerem que os embriões de ovos maiores podem ser mais eficientes na utilização dos nutrientes do ovo, hipótese esta que pode ser parcialmente explicada pela correlação positiva observada entre o peso do ovo e a relação peso do ovo e peso do pinto (1, 2). O objetivo do presente trabalho foi investigar o efeito da seleção para características produtivas, em linhagens maternas de aves para corte, sobre o desenvolvimento embrionário durante a incubação. MATERIAL E MÉTODOS Foram utilizadas 300 fêmeas e 30 machos, com 36 semanas de idade, das linhas maternas PP (selecionada) e PPc (controle). PP foi selecionada por oito gerações para peso corporal (PC) e produção de ovos na Embrapa Suínos e Aves. Os ovos férteis foram coletados durante 4 períodos de 5 dias consecutivos, com intervalo de duas semanas, com a realização de 4 incubações. Em cada período, um total de 960 ovos/linha foram identificados e separados em 4 grupos de 240 ovos (repetições) e armazenados, para posterior incubação. Nos períodos de 9 (P9), 11 (P11), 13 (P13), 15 (P15) e 17 (P17) dias de incubação os embriões foram coletados e pesados individualmente. No 18 o dia as repetições referente ao peso do pinto (P21) foram transferidos para a máquina de eclosão onde permaneceram até o nascimento. A correlação entre o peso do ovo (PO) e o peso do embrião (PE) foi analisada dentro de cada período. As análise foram realizadas utilizando-se os procedimentos estatísticos contidos no pacote SAS (3). RESULTADOS E DISCUSSÃO O PO não foi influenciado pelos efeitos de linhagem, incubação e interação entre ambas em nenhum dos períodos avaliados, indicando não haver diferença significativa entre as linhagens para esta característica. Este fato decorre da baixa pressão de seleção para peso do ovo na linhagem PP. Com relação ao PE, as diferenças entre as linhagens passam a ser significativas a partir de P15, resultando na diferença de 1,9g no peso do pinto. Considerando que o PO foi semelhante entre as linhagens e, que ambas tiveram a mesma base genética, a mudança genética no desenvolvimento embrionário, pode ser creditado a seleção para peso corporal. Mudanças no número de células percursoras do desenvolvimento esquelético (4), diferenças na composição e eficiência de utilização dos nutrientes pelo embrião (1, 2), podem explicar parte da variação. As mudanças no PE, com a manutenção do PO, alteraram a correlação destas características, com diferenças significativas a partir de P13. As correlações de 0,72 e 0,70 (P21), respectivamente para PP e PPc, estão dentro dos limites encontrados na literatura (0,50 a 0,95 (2). O peso do pinto correspondeu a 70,91 (PP) e 68,48% (PPc); do PO. Os aumentos estimados no PE, com o aumento de 1,0g no PO, para P21 foram de 0,71g (PP) e 0,68g (PPc). O incremento de 3,56% na relação do peso do pinto e PO é decorrente das diferenças genéticas, devido a seleção para peso corporal, que está alterando as correlações sem alterar o PO.  CONCLUSÕES A seleção para peso corporal e produção de ovos, com a manutenção do PO, altera a curva de desenvolvimento embrionário (PE), a correlação entre PO e PE e a relação PO:PE, a partir do 13 o dia de incubação. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS WHITING TS, PESTI GM. Poultry Science; 63:425-9, 1984. YANNAKOPOULOS AL, TSERVENI-GOUSI AS. Poultry Science; 66:829-833, 1987. SAS statistical analysis sistems user´s guide: Stat. Version 6.4, ed. Cary: SAS Institute, v.2, 1996. SCHMIDT et al. In: Anais da Conferência APINCO de Ciência e Tecnologia Avícola, Anais…, p.52, 1997.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Revista AviSite

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

revista01

Avicultura de corte brasileira chegou a novos e inéditos resultados em 2021

Revista do AviSite faz um balanço do ano de 2021 trazendo os números de alojamento de matrizes de corte, produção de pintos de corte, produção, exportação e disponibilidade de carne de frango e disponibilidade per capita aparente de carne de frango. Página 22.

revista02

Influenza Aviária: os reais perigos dos novos surtos de H5N1

Com o crescimento de casos da cepa H5N1 em todo o mundo, aumenta a preocupação em manter o Brasil livre da enfermidade. Portanto, especialistas alertam para a necessidade de manutenção dos programas de biosseguridade, avaliando potenciais fragilidades e mitigando riscos. Página 30.

revista03

Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de suínos e aves

Estudos da Embrapa mostram que o arroz pode complementar ou substituir o milho na ração animal. Página 36.

Fotografias Noelly Castro

União Europeia sanciona lei que bane uso indiscriminado de antibióticos e estimula o bem-estar na criação animal

Brasil deve ser impactado em relação às vendas da avicultura. Expectativa é de efeito positivo em outros países, inspirando a modernização de leis que visem à promoção de sistemas mais éticos e sustentáveis e a mitigação dos riscos de resistência antimicrobiana. Página 56.

revista04

Terceira geração de selênio: L-SeMet, OH-SeMet ou Zn-SeMet, quais são as diferenças?

Estudos sugerem que a forma de selênio ofertada na dieta determina sua eficiência e, dessa maneira, influencia o atendimento do requerimento nutricional dos animais. Página 42.

Melina Bonato

Conceitos de imunonutrição aplicados a avicultura

Este conceito é entendido e aplicado à nutrição animal há bastante tempo, já que os conhecimentos nas áreas de nutrição, sanidade, manejo e ambiência são bastante avançados; no entanto, apenas há alguns anos, o termo “imunonutrição” vem sendo usado efetivamente. Página 46.

frango (88)

Superdosagem de fitase proporciona bons resultados para combater miopatias em frangos de corte

A necessidade de resolver o problema associado à alta incidência de distúrbios metabólicos, como miopatias, tem atraído enorme atenção do setor. Página 48.

frango (45)

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade, levando a alterações dos parâmetros produtivos. Página 50.