domingo, 29 de maio de 2022

China libera primeira carga de carne brasileira desde início do embargo

Decisão, entretanto, não altera o veto chinês à importação do produto vindo do Brasil, que dura sete semanas

A China liberou a primeira entrada no país de uma carga de carne brasileira desde o anúncio do veto à importação do produto vindo do Brasil. A decisão, no entanto, foi específica a um lote que aguardava em um porto do país asiático e não altera o embargo ao produto brasileiro, que já dura sete semanas.

A informação foi anunciada pelo próprio comprador do lote liberado, Conrado Beckerman – que mora em Xangai desde 2005 e é dono de uma empresa de importação e distribuição de carne, em entrevista ao podcast “Agrifatto Cast” nesta terça-feira (26).

De acordo com Beckerman, o aviso de liberação e a solicitação do envio de documentos para o desembarque foram recebidos por ele na madrugada desta terça-feira (26). Ainda segundo o importador, o lote havia chegado no dia 15 de outubro e estava há 11 dias parado no Porto de Xangai. Ainda de acordo com a entrevista ao “Agrifatto Cast”, o lote liberado é oriundo do Tocantins.

Em conversa com a CNN Brasil, a CEO da casa de análises de investimento em ativos agropecuários Agrifatto, Lygia Pimentel, confirmou a liberação da carga de carne brasileira para envio de documentação para o desembarque e informou que o carregamento foi embarcado no dia 10 de setembro, mas que obteve certificação no Brasil em 26 de agosto – portanto, antes da suspensão pela China (4 de setembro).

“É o primeiro caso em que a China libera uma carga para que seja enviada a documentação, desde que começou a suspensão”, analisou Lygia Pimentel. A consultora de ativos agropecuários observou também que há outros 21 lotes em situação semelhante – que obtiveram certificação antes da data da suspensão, mas que teriam embarcado dias depois.

De acordo com a análise da CEO da Agrifatto, embora sinalize uma mudança de direção nas negociações, a liberação não representa uma reversão do embargo chinês ao produto brasileiro. ”É mais um tijolinho na construção dessa solução. Mas está tudo evoluindo em uma velocidade bem lenta. Não será da noite para o dia”, afirmou.

A informação de que a carga foi liberada foi confirmada à CNN Brasil por interlocutores do Ministério da Agricultura. Embora o produto tenha obtido certificação antes do embargo, a liberação foi vista como um passo importante para o fim do veto.

Oficialmente, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou não ter informações sobre o fato.

Na semana passada, a China sinalizou ao Brasil que o impasse deve ser resolvido em breve. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que cogitou se deslocar ao país asiático para ajudar na negociação de retomada da importação, desistiu da viagem nesta semana justamente diante da expectativa positiva.

À CNN, a Embaixada da China em Brasília afirmou não haver nenhuma novidade sobre o assunto. A Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carnes informou via assessoria que não comenta a questão do embargo da carne brasileira pela China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Notícias Relacionadas

Revista AviSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

revista01

Avicultura de corte brasileira chegou a novos e inéditos resultados em 2021

Revista do AviSite faz um balanço do ano de 2021 trazendo os números de alojamento de matrizes de corte, produção de pintos de corte, produção, exportação e disponibilidade de carne de frango e disponibilidade per capita aparente de carne de frango. Página 22.

revista02

Influenza Aviária: os reais perigos dos novos surtos de H5N1

Com o crescimento de casos da cepa H5N1 em todo o mundo, aumenta a preocupação em manter o Brasil livre da enfermidade. Portanto, especialistas alertam para a necessidade de manutenção dos programas de biosseguridade, avaliando potenciais fragilidades e mitigando riscos. Página 30.

revista03

Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de suínos e aves

Estudos da Embrapa mostram que o arroz pode complementar ou substituir o milho na ração animal. Página 36.

Fotografias Noelly Castro

União Europeia sanciona lei que bane uso indiscriminado de antibióticos e estimula o bem-estar na criação animal

Brasil deve ser impactado em relação às vendas da avicultura. Expectativa é de efeito positivo em outros países, inspirando a modernização de leis que visem à promoção de sistemas mais éticos e sustentáveis e a mitigação dos riscos de resistência antimicrobiana. Página 56.

revista04

Terceira geração de selênio: L-SeMet, OH-SeMet ou Zn-SeMet, quais são as diferenças?

Estudos sugerem que a forma de selênio ofertada na dieta determina sua eficiência e, dessa maneira, influencia o atendimento do requerimento nutricional dos animais. Página 42.

Melina Bonato

Conceitos de imunonutrição aplicados a avicultura

Este conceito é entendido e aplicado à nutrição animal há bastante tempo, já que os conhecimentos nas áreas de nutrição, sanidade, manejo e ambiência são bastante avançados; no entanto, apenas há alguns anos, o termo “imunonutrição” vem sendo usado efetivamente. Página 46.

frango (88)

Superdosagem de fitase proporciona bons resultados para combater miopatias em frangos de corte

A necessidade de resolver o problema associado à alta incidência de distúrbios metabólicos, como miopatias, tem atraído enorme atenção do setor. Página 48.

frango (45)

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade, levando a alterações dos parâmetros produtivos. Página 50.