domingo, 29 de maio de 2022

BRF lança projeto de reflorestamento na Turquia

Plantio de árvores está em sintonia com a Visão 2030 da BRF e com o objetivo da Companhia de ser Net Zero até 2040

 

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, iniciou projeto de reflorestamento na Turquia por meio de sua marca Banvit, a preferida pelos consumidores locais. Em parceria com a ONG local ÇEKÜL, serão plantadas 20 mil mudas de pinheiros (Beach Pines) em ação intitulada “Banvit Forest”, que ocorrerá na região de Bandirma.

A cerimônia de plantio foi realizada na Vila Sahil Yenice em Balıkesir, Bandirma, com a participação da Fundação ÇEKÜL e da direção geral de Florestas da Turquia. O reflorestamento está conectado com a meta da BRF de ser Net Zero até 2040, e contou ainda com o apoio do Instituto BRF, que desde 2012 coordena os investimentos sociais da Companhia nas cidades onde está presente e já impactou milhares de pessoas.

“Essa sensibilidade com relação à sustentabilidade tem se refletido em nossa cultura corporativa e em nossas operações como BRF na Turquia. Neste âmbito, apoiamos também o programa de reflorestamento 7 Ağaç Ormanları e construímos a ‘Banvit Forest’ em cooperação com a Fundação ÇEKÜL. Queremos implementar projetos de arborização semelhantes em diferentes regiões do nosso país nos próximos anos”, afirma Tolga Gündüz, CEO da Banvit BRF.

Segundo Sevil Yeşim Dizdaroğlu, gerente geral da Fundação ÇEKÜL, a ONG, fundada em 1990, iniciou o projeto ‘7 Ağaç Ormanları’ em 1994 e, com o apoio dos amantes da natureza, reuniu 5 milhões de mudas no solo em mais de 70 campos. “Os esforços das instituições para a criação de florestas foram essenciais e essa cooperação vai continuar”, afirma Sevil.

No Brasil, a BRF conta também com uma extensa área de floresta plantada, com 30 mil hectares de árvores como pinus e eucalipto em 192 fazendas nos estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que servem de fonte de energia para as unidades fabris dessas regiões.

Essa fonte de energia renovável ainda auxilia na regulação climática, com a diminuição da temperatura local, fixação de CO2 (gás carbono, causador do efeito estufa), conservação da biodiversidade e ecossistemas. “Na BRF temos a grande responsabilidade de utilizar a energia de forma eficiente e responsável. O consumo de energia é acompanhado diariamente pelas nossas equipes de eficiência energética, que monitoram, tratam desvios pontuais e propõem planos de ação, se preciso. Em 2020, mantivemos o uso prioritários de fontes renováveis em nossa matriz energética”, comenta Mariana Modesto, diretora de Sustentabilidade da BRF.

O Plano BRF de Sustentabilidade reforça o compromisso com o uso prioritário dessas fontes de energia e prevê, até 2030, ampliar para 50% a energia elétrica autoproduzida pela Companhia a partir de fontes renováveis e limpas. Além disso, aposta no uso de energia de fontes limpas, como eólica e solar, uma das frentes prioritárias do compromisso da BRF de se tornar Net Zero até 2040. Recentemente, a BRF fechou parceria com a AES para a construção de um parque eólico, e com a holding brasileira Pontoon, para a criação de um complexo de energia solar. Com os dois projetos será possível garantir a energia necessária para atender dois terços das necessidades das unidades no Brasil.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Notícias Relacionadas

Revista AviSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

revista01

Avicultura de corte brasileira chegou a novos e inéditos resultados em 2021

Revista do AviSite faz um balanço do ano de 2021 trazendo os números de alojamento de matrizes de corte, produção de pintos de corte, produção, exportação e disponibilidade de carne de frango e disponibilidade per capita aparente de carne de frango. Página 22.

revista02

Influenza Aviária: os reais perigos dos novos surtos de H5N1

Com o crescimento de casos da cepa H5N1 em todo o mundo, aumenta a preocupação em manter o Brasil livre da enfermidade. Portanto, especialistas alertam para a necessidade de manutenção dos programas de biosseguridade, avaliando potenciais fragilidades e mitigando riscos. Página 30.

revista03

Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de suínos e aves

Estudos da Embrapa mostram que o arroz pode complementar ou substituir o milho na ração animal. Página 36.

Fotografias Noelly Castro

União Europeia sanciona lei que bane uso indiscriminado de antibióticos e estimula o bem-estar na criação animal

Brasil deve ser impactado em relação às vendas da avicultura. Expectativa é de efeito positivo em outros países, inspirando a modernização de leis que visem à promoção de sistemas mais éticos e sustentáveis e a mitigação dos riscos de resistência antimicrobiana. Página 56.

revista04

Terceira geração de selênio: L-SeMet, OH-SeMet ou Zn-SeMet, quais são as diferenças?

Estudos sugerem que a forma de selênio ofertada na dieta determina sua eficiência e, dessa maneira, influencia o atendimento do requerimento nutricional dos animais. Página 42.

Melina Bonato

Conceitos de imunonutrição aplicados a avicultura

Este conceito é entendido e aplicado à nutrição animal há bastante tempo, já que os conhecimentos nas áreas de nutrição, sanidade, manejo e ambiência são bastante avançados; no entanto, apenas há alguns anos, o termo “imunonutrição” vem sendo usado efetivamente. Página 46.

frango (88)

Superdosagem de fitase proporciona bons resultados para combater miopatias em frangos de corte

A necessidade de resolver o problema associado à alta incidência de distúrbios metabólicos, como miopatias, tem atraído enorme atenção do setor. Página 48.

frango (45)

Impactos da ocorrência de Bronquite, Laringotraqueíte e Influenza Aviária na produção avícola brasileira

As infecções virais impactam as condições fisiológicas das aves, podendo provocar mortalidade e/ou morbidade, levando a alterações dos parâmetros produtivos. Página 50.