Os avanços da tecnologia na Avicultura

0
97

Mundo Agro Editora conversou com dois especialistas no tema: os consultores da Agroceres Multimix, Leandro Corrêa e Eduardo André Fronza para fechar a série de reportagens sobre o tema, realizada em 2020.

Ao longo do ano de 2020, a Agroceres Multimix e a Mundo Agro Editora publicaram uma série de reportagens na Revista do AviSite na qual foram abordados os principais pontos de evolução tecnológica no agronegócio.

Confira:
Parte 1A conectividade no campo
Parte 2Climatização x Lucratividade

Para fechar o tema, fomos aprofundar mais as questões em conversas diretamente com os consultores da empresa, Leandro Corrêa e Eduardo André Fronza.Afinal, quais são os pontos que eles consideram os principais que deram um salto tecnológico crucial no agronegócio?

Depois de séculos de acúmulo de conhecimento sobre a produção e domesticação de plantas e animais, as máquinas agrícolas criaram um novo salto, trazendo enorme contribuição para aumento da produtividade no campo.

Segundo Leandro Corrêa, a avicultura atual está vivendo a era digital marcada pela IoT (internet das coisas) e caminhando a passos largos em direção ao Big Data (armazenamento de dados em nuvens e uso de câmeras especiais, que após as imagens serem processadas (relacionada) gera imagens que permite melhorar e acompanhar o desenvolvimento das aves através da identificação de falhas ou necessidade de manejo, comportamento das aves (estresse) e/ou análises de excreta (doenças). “O principal objetivo é gerar informações que após serem analisados e aprovadas, irão auxiliar ainda mais os produtores em tomadas de decisão cada vez mais assertivas e/ou darão mais autonomia ao sistema em ações preventivas. Atualmente, diversas empresas estão buscando, por meio dessas inovações tecnológicas, garantir mais praticidade, eficiência, rastreabilidade e sustentabilidade”, apontou.

Segundo Corrêa, com o crescimento da produção, se torna essencial a aquisição de sensores e software para manter a qualidade e gestão de todas as operações inseridas no processo. “Os softwares e aplicativos de gestão disponibilizados têm se tornado indispensáveis para facilitar as tarefas básicas diárias e o gerenciamento dos galpões até mesmo à distância”, destacou.

Dessa forma, munidos de informações de qualidade, os produtores são mais assertivos e como consequência obtém reduções de custos (utilização segura de formulações econômicas e redução do uso de medicamentos) e o aumento da produtividade (otimização de mão de obra, redução drástica de mortalidade e aumento da qualidade dos produtos), destacou o consultor da Agroceres Multimix.

Ilustração de como a tecnologia na avicultura pode colaborar com dados climáticos, horário, geração de energia, custos de energia, consumo total, consumo de cada área, sensores, consumo do aviário 3, dados dos animais, histórico, fornecimento de energia, gerador, contador principal, alimentação, moagem, climatização, contador individual e unidades básica.

Galpões climatizados

As tecnologias e técnicas empregadas nesse tipo de galpão se resumem em uma avicultura com controle ambiental e produtivo, no qual todos os fatores podem ser monitorados.
Leandro Corrêa ainda aponta que essas instalações utilizam, normalmente, controle artificial de ambiência (temperatura, umidade, velocidade de vento, intensidade luminosa e gases).

A avicultura não fica de fora desse cenário de app e muitos aplicativos têm sido criado para atender as necessidades de aumentar todos os esforços aplicados na criação para uma melhor lucratividade.

De um modo geral, a aplicação da tecnologia na avicultura tem como objetivo a busca por uma maior produtividade, qualidade, lucratividade e também pelos fatores ambientais que estão intimamente relacionadas com as boas práticas de produção e bem estar animal, os quais são um forte fator de influência.

Leandro Corrêa, Consultor Técnico da Agroceres Multimix
Leandro Correa

“A tecnologia Smart, monitora os dados fundamentais (ambiência e produção) em tempo real, faz a gestão de dados e mantém o produtor informado.
A adoção de sensores vem sendo adotada com maior intensidade nos galpões, principalmente em razão da conscientização e atuação nas necessidades implícitas (atender as exigências de bem estar animal, melhorar a gestão da produtividade, potencializar o nível de informações (quantitativa e qualitativa) e obter maior segurança e confiabilidade na operação. Além da precisão das informações (leituras e registros de dados), através de sensores e parametrizações os produtores têm acesso remoto a toda variação de ambiência e produtividade (alertas visuais ou sonoros) constantemente em seu computador ou smartphone”.
Leandro Corrêa

Benefícios

A flexibilidade do produtor/gestor em não precisar alimentar planilhas manualmente ou precisar estar todo tempo no campo observando para decidir o que fazer ou identificar falhas no processo foi um ponto destacado por Corrêa.
De acordo com ele, a utilização do sistema completo (ambiência e produção), instalação de estação meteorológica, que mede temperatura, umidade do ar e radiação solar, promove o manejo adequado de cortinas para aproveitar o período de temperatura ou ventilação natural apropriada. “Além disso, sensores espalhados pelo galpão medem as condições ambientais e de produção. Estas informações mais as imagens de câmeras, ajudam a interpretar o que acontece no interior do galpão (comportamento das aves e fluxo de produção)”, apontou Corrêa.

tela de exemplo de um software que mostra dados do aviário

Visão holística (10 anos):
Os esforços são para combinar tudo isso com o acompanhamento do desenvolvimento das aves e respostas produtivas, e criar algoritmos próprio para checar o conforto e condições sanitárias, baseado em imagens e sons dos animais (excreta, comportamento e vocalização).

Tela de exemplo de um software que mostra dados de um aviário

Com a combinação destes dados, a tecnologia Smart busca fazer recomendações nutricionais de acordo com a necessidade das aves, frente aos desafios climáticos enfrentados no interior do galpão. O software pretende sugerir os níveis, através dos conjuntos de fórmulas imputados, e envia para a fábrica juntamente com a quantidade a ser produzida. Ao mensurar isso relacionando com a necessidade específica das aves e como que observamos as variações galpão a galpão, é possível reduzir em mais 10% o custo com ração.

“Com os avanços nessa direção, nós da Agroceres estamos adotando a tecnologia Smart em nossas instalações para contribuir com pesquisas neste âmbito (acurácia e precisão dos equipamentos e informações) e melhorar cada vez mais o suporte técnico junto as necessidades de nossos clientes”, disse Corrêa.

Agora, segundo o Consultor da Agroceres Multimix, Eduardo André Fronza, os pontos que ele considera principais que deram um salto tecnológico crucial no agronegócio foram a informação/conhecimento, a automação e a mecanização dos processos produtivos. “Os canais de comunicação existentes, estão suprindo as necessidades de informações dos produtores rurais, seja através de ferramentas digitais ou ate mesmo , há pouco tempo atrás, via televisão com canais de programações especificas. As empresas fornecedoras de insumos, atualmente, possuem grande importância na disseminação de informações de tecnologia, manejo e mercado dos produtos agropecuários”, disse.

tela de um programa mostrando o "feed program" do aviário

Avicultura moderna, conectada, na qual as pessoas e as máquinas estejam integradas, com o trânsito de dados e informações transitando em velocidades inimagináveis, com análises em tempo real daquilo que é mais importante para o processo produtivo.

André Fronza - Consultor técnico da Agroceres Multimix
Eduardo André Fronza

A avicultura sempre esteve na vanguarda da inovação e pela busca incessante de melhorias de resultados e rentabilidade da atividade. Dito isto, esta integração entre pessoas, maquinas e informações, devem ser processadas a fim de buscar o melhor desempenho possível da atividade, entrando aí o papel do ser humano como ser racional, a tomar a atitude para o melhor processo produtivo”.
Eduardo André Fronza

A avicultura é uma atividade por si só de natureza muito dinâmica, ciclo de produção dos animais determinado, com um crescente e exigente mercado consumidor, o que é o maior propulsor da manutenção da evolução da atividade, aliado ao controle de custos de produção e rentabilidade da atividade. De acordo com Fronza, estes fatores automaticamente, exigem a crescente expansão de produção bem como de modernização e padronização de produção, deixando para trás os menos eficientes, como em uma seleção natural.  “Pesquisa e indústria devem andar juntas, tanto para um crescimento sustentável da atividade quanto para uma evolução mais rápida. Temos muitos exemplos desta interação a nível de campo, sejam elas em desenvolvimento de aditivos para nutrição ou em automação de processos produtivos a nível de granjas avícolas”, disse. “As instituições de pesquisa precisam estar mais próximas das agroindústrias e empresas ligadas a avicultura para ter condições de desenvolver pesquisas e tecnologias que estejam associadas ao dia a dia e as necessidades da cadeia de produção avícola”, destacou Fronza.

Consultor da Agroceres Multimix, Eduardo André Fronza: “O mercado consumidor dos produtos avícolas, está a cada dia mais exigente em termos de qualidade, rastreabilidade, bem estar dos animais, e claro, aos custos de produção e o menor impacto ambiental possível. As tecnologias até então desenvolvidas e implantadas na cadeia avícola contribuíram para a atividade chegar onde está, e certamente ainda irá será o principal pilar de crescimento da atividade, pautada sempre na sustentabilidade do negócio como um todo”.


Como ficam as relações humanas neste processo? Elas avançam na mesma velocidade?

Fronza apontou que as relações humanas irão se fortalecer com estas tecnologias, ate porque serão necessárias mão de obra especializada, o que faz com que as pessoas busquem este aperfeiçoamento profissional e pessoal, evoluindo desta maneira as relações entre elas. “Como exemplo claro dessa situação, basta olharmos o IDH dos municípios que possuem agroindústria e, se possível compararmos este índice antes e depois da implantação desta agroindústria”, disse.
Melhoramento genético, bioinformática, pré-produção,  agricultura de precisão, equipamentos diversos na produção, comunicação geral e melhorias na logística e transporte na pós-produção são alguns pontos que podemos traçar como pilares desta análise evolutiva. Certamente, são todos pilares para um desenvolvimento de escala de produção, redução de custos, qualidade e sustentabilidade ambiental da atividade, enfim, focados nos interesses dos consumidores desta proteína.


Aumento do número de produtores x aumento da demanda por alimentos

Este equilíbrio, sofreu uma alavancagem nos últimos anos, principalmente devido a profissionalização do produtor rural como também o desenvolvimento do produtor como uma empresa rural, o que concedeu um rápido crescimento deste equilíbrio, visto a retenção de novas gerações familiares conduzindo as atividades agropecuárias, e claro a atratividade econômica do agronegócio. É o que explica Eduardo André Fronza.
Na primeira matéria divulgada pela Revista do AviSite, em parceria com a Agroceres Multimix, a Dra. Irenilza Nääs, da Unicamp e FACTA, apontou: “O avanço tecnológico, associado à internet das coisas e a uma geração que nasceu com habilidades de compreender o mundo digital com grande facilidade, deverá transformar todas as formas como tomamos decisões hoje.”
De acordo com Fronza, foram muito bem colocadas as palavras da Dra. Irenilza Nääs.  “Estamos convivendo com uma geração que já nasceu com muita habilidade no mundo digital, o que fará com que o desenvolvimento de tecnologias e automações ocorram muito mais rapidamente que quando comparado há algum tempo atrás para ocorrer o mesmo desenvolvimento”, afirmou. “Vejo a avicultura como uma  atividade muito  dinâmica, o que faz de seus profissionais adotarem um perfil inovador, flexível e criativo, encaminhando a novas tecnologias e adoção das mesmas. A maior dificuldade no que tange a infraestrutura, ainda são os altos custos e as dificuldades em tomar credito financeiro para implantação, que geralmente são investimentos com retorno de médio a longo prazo, mas que são melhorias que impactam no resultado zootécnico e financeiro de imediato na avicultura, não acompanhando na mesma velocidade de investimentos”, disse.
Por ser uma atividade dinâmica, e estar sempre em atualização, a avicultura gerencia uma infinidade de itens de controle, gerando um abundante banco de dados para auxiliar nas tomadas de decisões da atividade. “Atualmente a busca dos dados e a aplicação de sistemas dependem e muito desta nova geração de produtores, que serão mais conectados e dependeram cada vez mais de informações de qualidade para tomada de decisões”, destacou.

ilustrativa - a esquerda é um aviário com galinhas, a direita uma pessoa mexendo em dados do aviário em um tablet.


O produtor está sempre em busca de melhores resultados e baixos custos, desta forma ele está consciente de que necessita de técnicas modernas de produção bem como de analisar os dados de sua produção, buscando assim a melhoria continua.
Não obstante, também é consciente que precisa evoluir e investir na atividade, desafios estes que necessitam de apoio financeiro e técnico para a constante evolução da cadeia.

Muito já se fez e evoluiu a avicultura nestas últimas décadas, porém pela característica dinâmica da atividade, gerenciamento das atividades e controle de custos, temos muito a desenvolver ainda nestes pilares de tecnologia, nutrição e produção. Já é realidade a avicultura 4.0, com inúmeras informações controladas para a melhor resposta do animal em produtividade. “A nutrição desenvolveu-se muito, e atualmente encara alguns desafios como retirada de promotores de crescimento, alta de custos de matérias primas e desenvolvimento de insumos para atender a nova demanda de mercado por um produto que atenda por completo suas necessidades bem como um impacto ambiental cada vez menor. Aliado a este cenário, temos uma população crescente, mais exigente e com melhor acesso a proteínas, o que irá aumentar e muito ainda a produção avícola”, finalizou Fronza.

Autora: Giovana de Paula, editora da Revista do Avisite.

Nutrição Animal – Agroceres Multimix

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui