Edição 100
10 Anos
Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Aplicativos
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Quarta-feira, 18/10/2017
Siga-nos:
Fórum
CLIPPINGS
São Paulo, SP, 11/08/2017 |

Brasil e EUA elevam oferta de grãos no mundo



Estados Unidos e Brasil mostraram nesta quinta-feira (10) o quanto vai ser grande a oferta de grãos no mundo nos próximos meses. Os órgãos responsáveis pelo acompanhamento da produção de grãos nos dois países apontam para números recordes.

A safra brasileira deste ano, que se encaminha para o final, ficará próxima de 240 milhões de toneladas.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) prevê 242 milhões. Já a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) estima 238 milhões.

Nos Estados Unidos, o Usda (Departamento de Agricultura) elevou a produtividade da soja, cujas lavouras estão em desenvolvimento, para um patamar superior ao que previa o mercado. Na avaliação do órgão, a produção da oleaginosa atingirá o recorde de 119,2 milhões de toneladas na safra 2017/18.

No Brasil, a safra de soja, já colhida, soma o recorde de 114 milhões de toneladas.

Em ambos os países, que estão entre os principais produtores e exportadores de grãos no mundo, o clima foi fundamental nas culturas de soja e de milho. No caso brasileiro, a maior produção se deve ainda ao aumento de 2,3 milhões de hectares na área de plantio.

As condições climáticas no Brasil favoreceram mais a safra de verão, que teve o volume produzido aumentado em 53 milhões de toneladas, em relação ao anterior. Foram colhidos 232 milhões de toneladas.

Já no inverno, a safra de trigo, a principal do período, foi afetada por fortes geadas.

Clima e redução de área de plantio fizeram a Conab reduzir a estimativa de produção do cereal para 5,2 milhões de toneladas neste ano. Em 2016, a produção atingiu 6,7 milhões de toneladas.

Os Estados Unidos também tiveram problemas pontuais de clima. O Meio-Oeste, principal área produtora de grãos do país, e que engloba 12 Estados, deverá obter produtividade menor em algumas regiões.

Área maior e produtividade boa nos Estados do Sul e do Sudeste do país, porém, devem compensar parte do rendimento menor da soja em áreas do Meio-Oeste, segundo Daniele Siqueira, analista da AgRural.

Os Estados do Meio-Oeste somam 85% da produção de grãos do país. Os do Sul e Sudeste, 13%. Nesta última região, Lousiana, Mississippi e Tennessee estão entre os que têm rendimento bom nesta safra, segundo Siqueira.

MILHO

A produção brasileira de milho deverá subir para o recorde de 97,2 milhões de toneladas, 31 milhões de toneladas a mais do que no ano passado.

Já a safra de milho dos Estados Unidos deverá recuar para 360 milhões de toneladas, 25 milhões a menos do que em 2016/17. Enquanto o Meio-Oeste, que detém 85% da produção total do país, terá uma redução de 9 sacas por hectare, os Estados do Sul e do Sudeste deverão aumentar a produtividade em 15 sacas por hectare, segundo Siqueira.



Fonte: Folha de S. Paulo
Autor: Mauro Zafalon



Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!




CLIPPINGS MAIS LIDOS
5 dias
30 dias
ÚLTIMOS CLIPPINGS











NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: